7 de novembro de 2013

Vovô Jaime: nós não sabemos envelhecer

A 3ª e a Meia Idades se portam PIOR do que os jovens -
é o que desabafo com o meu avô materno.
(P.S. Ele está no Céu.)

Fotografia de Martinhampl

Belo Horizonte, 5 de novembro de 2013.

Querido Vovô,

Já é tarde. Enquanto lhe escrevo esta cartinha, assisto ao filme A Jovem Rainha Vitória, que passa agora na TV (estou sempre fazendo duas coisas ao mesmo tempo!). Que saudade de você!... Convivemos tão pouco e tudo o que tenho é um cachorrinho (Abelhudo, da Estrela), que você me deu e que guardo no meu armário, com a caixinha e tudo e com todo o carinho. Tem a sua letrinha: "Ana Paula". Eu queria me lembrar do seu sorriso de satisfação ao me ver abrir esse presente.

Cachorro Abelhudo da Estrela (início dos anos 1980) -
Letrinha do Vovô Jaime - Foto de Ana Paula (acatolica.com)

Cachorro Abelhudo da Estrela (início dos anos 1980) -
Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Cachorro Abelhudo da Estrela (início dos anos 1980) -
Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Por aqui, Vovô, vamos bem. Quero dizer, eu cresci e a vida não é nada daquilo que eu esperava. Foi assim com você também? Está tudo tão diferente! E temo pelo pior, porque, à medida que "crescemos", nos damos conta da maldade que há em nós e nas pessoas ao redor. Vejo gente com quase 45, 55, 65 anos de idade sendo capaz de gestos tão desprezíveis, de comportamentos que vão da crueldade à bizarrice, que eu - aos 37 - fico com as esperanças de melhorar com o passar do tempo abaladas.

Veja se eu não tenho razão: se as pessoas mais velhas do que eu, que até se dizem "religiosas", continuam infantis, isso indica que a probabilidade de eu prosseguir deste mesmo jeito em que estou (sem evoluir) é grande. Afinal, somos todos feitos do mesmo pó. É sério, Vovô!

Conheço gente de mais de 80 anos de idade que ainda sente prazer em falar mal da vida alheia; senhora com mais de 70 que adora bisbilhotar, reclamar da vida e, além disso, guarda rancor; mulher com quase 50 anos, cristã e estudada, com mágoa dos pais e do irmão. Não escrevo isso para "julgar" meus semelhantes, e sim para demonstrar como a idade nem sempre traz sabedoria, como a sabedoria popular gosta de propalar...

Estou meio desiludida, Vovô.

E, se lhe escrevo esta cartinha para lhe contar que, nesta semana (ou na próxima) o nosso time Cruzeiro tem TUDO para ser TRICAMPEÃO BRASILEIRO em 2013, aproveito também para desabafar um pouco. Para extravasar a minha decepção com a 3ª Idade. Ou melhor: com a 3ª e a Meia Idades.

Fotografia (Sem Data) de Karen Beate Nøsterud - norden.org

Homens e mulheres se reúnem em programas nas rádios e na TV, colunistas discorrem nos jornais e nas revistas semanais que "a nossa juventude está alienada"; "a nossa juventude é consumista"; "a nossa juventude não sabe ler nem escrever"; "a nossa juventude é viciada em Internet"; "a nossa juventude vai para as ruas fazer vandalismo"...

... Pois as minhas queixas são diferentes: nossos idosos se recusam a crescer; nossos idosos são péssimos exemplos para os jovens; apesar de já terem vivido meio século, mulheres de meia idade não têm psicologia; homens e mulheres de meia idade têm vida espiritual de criança de 5 (ou menos); por que será que homens de mais de 60 anos são tão ressentidos e mulheres de meia idade, tão amargas? E por aí vai...

Não acho que estou pegando pesado, Vovô. Penso apenas que, se é esperado de um bebê que ele aja como um bebê; de um adulto, sobretudo quando ele se aproxima da faixa dos 50 ou dos 90, e não sofre de senilidade, que se comporte como tal - ou lute, lute, lute arduamente para isso.

Porque é patético ter que assistir ao vivo ou pela Internet à gente grande dando exemplo do que é "dobrar o Cabo da Boa Esperança" ficando feio por fora, porém ainda mais - mais, mais, muito mais - feio por dentro. Que mar de gente feia, Vovô Jaime! Quanta gente de meia idade horrorosa, Nosso Senhor! Rogo para que invistam na Beleza Espiritual e... Floresçam. Floresçam de vez, que já é tempo.

Fotografia (2012) de Alex Proimos from Sydney, Australia

O produtor João Marcelo Bôscoli deu uma entrevista observando que, artisticamente, foi muito bom para a sua mãe, a cantora Elis Regina, morrer aos 36 anos de idade. Ele ponderava: "Todos os meus artistas favoritos, como Stevie Wonder e Michael Jackson, pra ficar somente nos astros internacionais, não souberam envelhecer. Decaíram musicalmente. Sem considerar o meu sentimento de perda, de filho, tenho que reconhecer que o legado artístico da minha mãe, ao morrer jovem, ficou irretocável".

Triste, mas é fato.

Na arte de viver, muitos de nós não sabem envelhecer. Chegam à 3ª Idade com as mesmas infantilidades da juventude: mania de grandeza; complexo de superioridade (ou de vítima); orgulho; vício da mentira...

... Na ânsia de parecer mais moços por fora, focam na aparência, e seguem crianças por dentro, ao deixar de investir nos aprendizados emocional e espiritual. Como resultado, fazem papel de bobos, dignos de riso, espanto e até de piedade, ante filhos, netos, sobrinhos, noras, cunhadas e conhecidos, que percebem e registram tudo (ninguém é ingênuo).

Que, pela intercessão de Nossa Senhora, eu não siga pela via torta dessas pessoas de 3ª e Meia Idades que vejo de perto ou acompanho de longe e saiba orar e agir, a fim de me tornar uma mulher velha que pode até ser feia por fora, no entanto razoavelmente linda por dentro!... (Misericórdia dos nossos idosos, oh, Senhor!)

Fico por aqui, Vovô!
Dê um beijo em Jesus por mim!
TE AMO.

Imagemosaics from Beyoglu Istanbul (2000) -
Fotografia de Nevit Dilmen


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.