30 de abril de 2013

Post Nº 300 do Blog: carta à Viviana Paula!

Rasgue o envelope e leia junto a Minha Melhor Amiga
a carta que lhe escrevi e envio, através do Blog A Católica.

Não se avexe: sinta-se, também, um destinatário...

Trabalho de Ana Paula (acatolica.com) sobre imagem de Karen Arnold

Belo Horizonte, 30 de abril de 2013.

Fofinha do Meu Coração,

Cadê você? Achei que fôssemos trocar mais figurinhas durante a sua gravidez... Já sei: estar grávida e ser enfermeira coordenadora e professora de universidade não é mole, certo? Falta tempo para tudo e, sobretudo, para o principal: descansar. Esta, Deus "vai ficar me devendo": beijar a sua barrigona de grávida. Barrigona que, quando era barriguinha na largura e no comprimento, eu não cansava de beijar. Meu bebê vai ter um bebê!...

E aí? O pimpolho ou a pimpolha continua mexendo muito? Eu passava horas (eu disse horas) dos meus dias quietinha na cama, paradinha, porque li - e como eu li durante a minha gravidez!... - que desse jeito a mãe consegue perceber mais os movimentos do neném. OK. O nome correto é "feto". Mas, para mim, já era o meu Jaime Augusto. De ponta cabeça, com os pezinhos já esmagando o meu coração...

Lembra que da última vez em que conversamos eu disse que queria que "ele já estivesse na faculdade"? Hahahaha Esse sentimento passou. Coisa de mãe cansada. Você vai ver: Mamãe Gali diz que filho nos chupa até o osso e lambe os buraquinhos dos olhos e ela está correta. Vai ver que por isso o Dia das Mães é a segunda data de maior faturamento do comércio (a primeira é o Natal): todo mundo grato pelo trabalhão que as mães têm para criar uma criança.

E aí? Já pode se considerar mãe, viu? O que vai ganhar, então, de Dia das Mães do Papai Shailen? Eu pedi ao Farney um DVD sobre a vida de Santo Agostinho, porém, mudei de ideia e vou querer um livro sobre ele: Compreender Agostinho, da editora Vozes. É...

... Continuo viciada em ler! Hoje mesmo o pessoal daquela loja que adoro, Tok e Stok, veio aqui em casa instalar a nossa quarta estante! Todas cheias de livros. Quando Jaime Augusto vai pra cama, Farney e eu vamos pra mesa do "quarto de estudos". (Achou que eu ia dizer outro lugar, hein, danadinha? Hehehe) Ele devora os livros de Direito. Eu, os de Teologia. E pensar que nos conhecemos, cerca de 13 anos atrás, numa biblioteca! Hahahaha

A propósito: hoje é aniversário de 1 ano e 3 meses do Jaime Augusto! E eu já consigo encontrar um tempo pra ler!... Yes! Yes! Yes!

Jaime Augusto - Abril de 2013 - Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Veja só: a loucura dos primeiros meses passa, querida. Então, reze muito e descanse mais, pra poder atravessar as noites em claro e as tardes intensas que se seguirão ao seu parto, certa de que o andar do calendário irá indicar-lhe dias mais tranquilos. Quando Jaime Augusto tinha cerca de 3 meses de idade, eu olhava desolada pra Mamãe Gali, como se dissesse: "Quero a minha vida de volta!...", e mamãe, lendo tudo nos meus olhos, afirmava: "Ana Paula, acredite: com o tempo, a tendência é só melhorar".

Verdade verdadeira.

O neném "largar" o peito, melhor dos mundos. Aos 6 meses, começar a comer comida sólida (papas de frutas, legumes, carne, peixe, ovo e verduras), melhor dos mundos. Começar a engatinhar e "deixar" um pouco o nosso colo, melhor dos mundos. Andar, então, o que Jaime Augusto conseguiu antes de completar 1 ano e 2 meses, trata-se do melhor do melhor dos mundos. É um barato passear no shopping de mãos dadas com meu pimpolho!... Nada mais de ficar minha bolsa num ombro, a dele no outro, meu neném num braço e as sacolas de compras no outro. UFA!...

O mais legal está por vir!... Quando nosso filho começa a se comunicar conosco de maneira "mais clara", quando demonstra entendimento para com nossas orientações, mesmo que a princípio discorde (e discorde feio), nossa vida vai se "normalizando". "A mamãe agora não pode..."; "Espere só um pouquinho..."; "Mamãe está comendo..."; "Fique aqui, porque você está com a barriguinha cheia, depois o neném brinca de bola...".

Bola. Esta foi a primeira palavra do Jaime Augusto: "Gol". Essa mesma. "Papá", "Mamã", "Não" são ditas muito de vez em quando. Agora, "Gol" é simplesmente toda hora. A gente pedindo ou não. Êta menininho fascinado com bola. Aliás, a dele é a oficial da Copa do Mundo da África do Sul, de 2010: a famosa Jabulani, só que em tamanho reduzido. Farney ganhou de uma promoção do Banco do Brasil. "Pra quem vamos dar, Ana Paula?". Eu: "Nós vamos guardar: será do nosso filho, num dia...". O dia chegou!

Jaime Augusto - Abril de 2013 - Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

E quanto a você, menininha? Quando vamos saber que gênero de ser humano você carrega nessa barrigona? O quarto será cor-de-rosa ou será azul?

Eu simplesmente adorei a parte de comprar, ganhar, lavar e organizar as coisas do bebê!... Parece fútil, consumismo puro, mas preparar o enxoval é uma espécie de terapia: a gente vai "se desligando" dos incômodos físicos, a expectativa vai crescendo gostoso, a realidade de Ser Mãe vai se tornando mais tátil. Eu ficava louca pra ver o Jaime Augusto nas roupinhas e dentro do carrinho "chiquetérrimo" dele!...

Ter medo, dúvida, angústia, é comum em 10 entre 10 grávidas. E é a maior besteira. Por quê? Por que não adianta. Useless. Poucos momentos na vida a gente se vê mais nas Mãos de Deus do que durante a gravidez, a hora do parto e os primeiros meses de vida do bebê. Tudo pode acontecer! Incluindo, DAR TUDO CERTO. Sério.

Anos atrás, quando tirei três dentes sisos de uma só vez, enquanto o dentista, Dr. Daniel, cortava minha gengiva e até pedaço de osso da minha boca, fechei os olhos e sussurrei. Ele me perguntou: "O que você está falando?". Eu: "Tô rezando o Terço. Isso me acalma...". Ele sorriu. Pois bem: na hora H, quando suas pernocas estiverem posicionadas para a grande hora da sua vida mudar para sempre, chame por São Frei Galvão - o primeiro santo nascido no Brasil. Ele é o protetor da hora do parto.

O livrinho Devocionário a Santo Frei Galvão (Editora Canção Nova, 2007), que comprei para o seu pai, o Padinho, quando estive em Aparecida em 2008, traz a seguinte história:

Certo dia, [ele] foi procurado por um senhor muito aflito por ter sua mulher em trabalho de parto e em perigo de perder a vida. Frei Galvão [1739-1822] escreveu em um papelzinho o versículo do Ofício da Santíssima Virgem: Post partum Virgo Inviolata permansisti: Dei Genitrix intercede pro nobis (Depois do parto, ó Virgem, permaneceste intacta: Mãe de Deus, intercedei por nós).

Deu-o ao homem que, por sua vez, o levou à esposa. A mulher ingeriu o papelzinho, que Frei Galvão enrolara como uma pílula, e a criança nasceu normalmente.

Claro que eu tenho as pílulas, Biru-Biru. Sim, eu as tenho. Ganhei quando fui à Guaratinguetá, cidade onde o 1º santo brasileiro nasceu, e também ganhei-as do Lulu da Andréa Cristina, padrinho do Jaime Augusto. Elas são de papel e é óbvio que não lhe farão mal algum. Só BEM. SE lhe interessar, não me custará nada mandá-las pelos Correios para você. Seria grande a minha alegria!

Fico por aqui.

Enquanto as pílulas de Frei Galvão não seguem, contente-se com cinco beijos: em você, no baby, no maridão e nos melhores padrinhos do mundo, seus pais: Dindinha e Padinho. TE AMO!! AMO!! AMO!! AMO!!

P.S. Estou nos Céus com a sua gravidez. Certamente, é um dos momentos mais marcantes da minha vida, já que a tenho como Melhor Amiga e "irmã caçulinha"!!! (Nem é preciso acrescentar que você está uma grávida Linda de Doer!...) Deus a abençoe.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Um comentário:

  1. Ana Paula, nossa maezinha ta, realmente linda!!!!! Bjs da Gingers

    E o nosso Jaime Augusto ta fofo e gostoso... :-)

    ResponderExcluir