10 de dezembro de 2011

Quando agimos como... Criancinhas!


Neste Post d'A Católica, confira 10 atitudes nossas
que ecoam a pior faceta da criança que todos fomos!

Imagem: Cartoon Boy and Girl (1913),
Pub by Lowman & Hanford Co Seattle Wash

Mudando de canal nesta semana, me deparei com a seguinte legenda sob a tela da TV: Sociedade Infantilizada. Era o tema do programa Trocando Ideias, da TV Canção Nova, exibido ao vivo nesse 6 de dezembro. Infelizmente não pude acompanhá-lo: estava cansada e fui dormir mais cedo. Mas o sono não me impediu de matutar o assunto em pauta e já na cama levantei os pontos em que muitos de nós somos... Infantis.

"Deixai vir a mim os pequequinos e não os impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se lhes assemelham. Em verdade vos digo: todo o que não receber o Reino de Deus com a mentalidade de uma criança, nele não entrará." (Mc 10, 14-15; Lc 18, 16-17; Mt 19, 14)

Quando Jesus explica isso a seus discípulos, à primeira lida poderíamos pensar que ser infantil é uma qualidade e tanta! Porém, notas como as que constam nas traduções da Bíblia pela editora Ave-Maria e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nos esclarecem as palavras do Mestre:

Receber o Reino significa receber Cristo, o Evangelho, a graça. Urge recebê-lo com a simplicidade de uma criança para que se possa entrar nele.

Esta é a característica que a Igreja ressalta nas criancinhas (ou pequeninos) e que todos devemos rememorar e copiar: a simplicidade.

É bom recorrer ao dicionário, a fim de ir a fundo e compreender o significado das palavras. De acordo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, entre outras coisas, Ser Simples é ser:
1) Sem ornatos nem enfeites, ou seja, Modesto; Sem luxo,
2) De fácil interpretação,
3) Puro; claro,
4) Singelo; inocente e
5) Crédulo.

Todos essas virtudes, que felizmente ainda identificamos em muitas crianças, compõem a simplicidade que Jesus espera encontrar em nós. Nossa grande luta deve ser voltar a incorporá-la ao nosso caráter, ao nosso modo de ser, de sentir e de nos portar no mundo, para que alcancemos o Reino dos céus.

Acontece que o termo infantil implica aquilo que é "próprio de criança". E "próprio de criança" não é somente a simplicidade, e sim uma série de outros atributos, digamos, um tanto negativos... Engraçado: em vez de mantermos em nós a simplicidade da criança, preferimos levar pela vida afora todos esses outros atributos! É uma baita ironia: conservamos na vida adulta "o pior" de uma criança, e não o melhor.

Este Post d'A Católica, portanto, pretende elencar dez características infantis que tornam muitos de nós e consequentemente a sociedade na qual vivemos Infantilizados. Assim,

Como as Crianças....


1) Se enjoamos de algo, descartamos e queremos outro;

Hutladen (1914), August Macke


2) Somos atraídos pelo que é brilhante e fulgurante;

Fotografia de Vera Kratochvil

Ferrari 458 Italia - Fotografia de Anthony Joh from Bangkok, Thailand


3) É fácil desviar o nosso foco, a nossa atenção;

Fotografia de Ed Poor


4) Precisamos ter as nossas necessidades saciadas imediatamente (senão, somos capazes até de mudar de religião);

Fotografia de Rolands Lakis


5) Não temos paciência para livros sem gravuras nem para ensinamentos mais profundos;

Fotografia de Petr Kratochvil


6) Reclamamos em alto e bom som: deixamos todo mundo saber dos nossos problemas e desafios;

Fotografia de Petr Kratochvil


7) Temos dificuldade de dividir: só queremos receber, ganhar;

Raufende Jungen (1937), Josef Wenzel Süss


8) Precisamos de distrações: não conseguimos encarar
nem meditar a nossa dor;

Zwei Kinder mit Seidenbändern spielend - 19th century - Johann Baptist Reiter


9) Comemos feito loucos a toda hora, sem autocontrole;

Motherhood (1905), Stanislaw Wyspianski

The Merchant's Wife (1918), Boris Kustodiev


10) Queremos tudo do nosso jeito. Não aceitamos outra saída.

Fotografia de 1954, por Roger e Renate Rössing - Deutsche Fotothek

Tudo isso é para refletirmos...
... Será que, ao menos a uma ou outra infantilidade, podemos renunciar, a fim de finalmente agirmos feito adultos? Seremos capazes de dar esse passo? Saúde e Paz!!

Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Um comentário:

  1. Maravilhoso!
    Adorei este questionamento!
    Muito bom para refletirmos neste final de ano.
    Parabéns Ana, parabéns meeesmo!
    Márcia Moreira.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.