22 de dezembro de 2011

Esperar: um verbo cheio de atitude

Ao contrário do que muitos imaginam,
o verbo esperar não tem nada de "passivo":
implica movimento e mudança (não é isso o que queremos?)


Imagem: Warten auf den Liebsten (1923), Carl Mücke

Em Samba da Bênção, o Poetinha Vinícius de Moraes afirma que "A Vida é arte do encontro/ Embora haja tanto desencontro pela vida/ Há sempre uma mulher a sua espera/ Com os olhos cheios de carinho/ E as mãos cheias de perdão...". Eu penso que a Vida é arte da espera. Você lasca a forma no forno e espera a massa crescer, o bolo ficar pronto. Você investe em seus estudos e espera pelas oportunidades. Você fala e fala e fala com alguém e espera as suas palavras frutificarem. E por aí vai...

Há quatro significados do verbo esperar que me tocam: 1) Ter esperança; 2) Contar com; 3) Aguardar e 4) Armar emboscada a. Todos eles me mostram que um ditado popular aqui no Brasil faz todo o sentido: Quem espera sempre alcança. Por quê? Porque esperar, ao contrário do que o verbo nos levaria a supor, não implica imobilidade, acomodação, e sim, conforme os significados vistos acima, movimento, atitude, ação.

Vejamos: aguardar, entre outros sentidos, é vigiar. Isso é uma ação.

Senior Chief Photographer's Mate Mitchell -
Fonte: U.S. Department of Defense's Defense Visual Information Center

À espera de algo acontecer em minha vida, eu necessariamente não estou assentada num banco de praça ou parada em frente à janela "vendo a banda passar". Estou em alerta. Vigio. Ouço, penso, considero e reconsidero posições, opiniões e comportamentos. Se algo diferente ocorre, fujo, grito, mudo de direção, porque estou em alerta, já que eu espero, ou seja, aguardo, ou seja, vigio.

Esperar também significa contar com. Entre outros sentidos, contar quer dizer ter confiança.

Eis algo dificílimo, que aprendemos muitas vezes graças ao apoio e aos conselhos de pessoas importantes na nossa trajetória, como nossa mãe: "Tenha confiança, meu filho. Vai dar tudo certo". Assim, ao longo dos anos, de confiança em confiança, aprendemos a caminhar, a andar da bicicleta, a dar um mergulho na piscina ou no mar, a falar em público diante dos colegas e a pedir aquela menina linda em namoro (certo?).

Sem a atitude de ter confiança, até mesmo o ato de nos pormos de pé, todos os dias pela manhã, se torna um desafio que nos impõe medo e... Inação. (É só perguntarmos às pessoas que sofrem de depressão como elas se sentem tão sem confiança nelas mesmas, nos outros, na vida.)

Isso nos leva a outro significado de esperar, qual seja, ter esperança.

Lembro, ainda no colégio, um poema que aprendi atribuído ao poeta gaúcho Mário Quintana (1906-1994), o qual me impressiona bastante. Até hoje.

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas

Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
- ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
- Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
- O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...


Fotografia de Jiří Hodaň

Veja só: nós estamos no "décimo segundo andar do Ano".

Lugar ou tempo da esperança de um próximo ano melhor do que este que está em vias de acabar. Lugar, segundo o dicionário, de ter disposição de "esperar que uma coisa se há de realizar ou suceder". Tempo de expectativa, de confiança (olhe ela aí de novo). Como o poema de Quintana nos mostra, nada mata a esperança. Ela é a última que morre, conforme outro dito popular aqui no Brasil.

A propósito, a imortal esperança é uma das virtudes teologais, as quais fundamentam as virtudes humanas e "animam e caracterizam o agir moral cristão" - de acordo com o Catecismo da Igreja Católica. "Infundidas por Deus na alma dos fiéis", as três virtudes teologais - fé, esperança e caridade - são "o penhor da presença e da ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano" (Parágrafos 1812 e 1813).

A Igreja estimula os católicos a rezar, todos os dias, os Atos de Virtudes Teologais. Na obra Mãos em Ogiva - Manual Catequético de Oração (FUMARC, 2006), Monsenhor Geraldo dos Reis Calixto, que está à frente da Capela Nossa Senhora do Rosário - a igreja mais antiga de Belo Horizonte -, nos apresenta o Ato de esperança:

Eu espero, meu Deus, com firme confiança, que pelos merecimentos de nosso Senhor Jesus Cristo, me dareis a salvação eterna e as graças necessárias para consegui-la, porque Vós, sumamente bom e poderoso, o havíeis prometido a quem observar os Mandamentos e o Evangelho de Jesus, como eu proponho fazer com o Vosso auxílio. Amém.

Sobre a esperança, Padre Daniel L. Lowery escreve em Dicionário Católico Básico (Editora Santuário, 2002):

Uma das virtudes ou poderes teológicos (por Deus concedida e a Deus dirigida), infundida na alma pela graça santificante, pela qual somos capazes de esperar com confiança a vida eterna, a plenitude da glória de Deus e todos os meios de atingi-la, pois Deus é fiel a suas promessas.

O que me lembra a mensagem do 4º Encontro, "Em Cristo, vem vindo a libertação!", da Novena de Natal 2011 da Arquidiocese de Belo Horizonte:

A esperança cristã não é somente uma esperança descomprometida. Ela é ativa, operante. Ao esperarmos nosso encontro com o Verbo de Deus encarnado, a postura que devemos assumir é de luta por um mundo novo, o Reino de justiça e paz.

E aqui chegamos ao quarto sentido do verbo esperar: armar emboscada a.

Imagem: Tropenmuseum of the Royal Tropical Institute (KIT)

Emboscada quer dizer cilada, que significa "espera para atacar de improviso quem passa".

Eis uma atitude bonita que você e eu podemos tomar neste ano de 2012, que já bate a nossa porta: armar uma emboscada aos maus pensamentos, à palavra que fere e destrói, à falsidade, à obrigação de agradar aos outros, mesmo que isso signifique contrariar aquilo em que realmente acreditamos. Há uma série de posturas nossas as quais precisamos, desde ontem, atacar de improviso, capturar e... Tirar de nossas vidas.

E aqui chego ao fim de mais este Post do Blog A Católica.

Esperar tem tudo a ver com perseverança.

Quem espera, o faz porque acredita. Por isso, não desiste. Persevera: é constante e firme. Da casca do ovo onde escondemos nossas frustrações, complexos de inferioridade e anseios, espero que nasça um novo ser. Uma pessoa nova que crê na possibilidade real de um amanhã novo - apesar de tudo e de todos. Porque, cá pra nós dois, internauta: não é fácil. Não é. Não sei quanto a você... Quanto a mim, tem hora que dá vontade de "jogar a toalha". Mesmo.

Fotografia de Petr Kratochvil

Contudo, como constata a canção Mais Uma Vez, parceria do inesquecível Renato Russo com Flávio Venturini, Quem acredita (ou seja: espera) sempre ALCANÇA. Saúde e Paz!!

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei

Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem

Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá

Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está

Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo

Quem acredita sempre alcança!

Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém

Quem acredita sempre alcança!




P.S. O Papa Bento XVI escreveu uma Carta Encíclica (carta pastoral formal dirigida à Igreja e a toda comunidade humana) SOBRE A ESPERANÇA CRISTÃ - SPE SALVI, no ano de 2007. Confira todo o seu conteúdo neste Link.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Um comentário:

  1. Olá... Já estava com saudades.
    Esperança, no mundo de agora, está tão em desuso.
    Esperar, paciência estão se tornando coisas do passado...
    Miserere nobis!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.