1 de maio de 2011

A bênção, beato João de Deus.



"Apesar de o Vaticano ter regras rígidas para dar início ao processo de canonização, Joseph Ratzinger [o Papa Bento XVI] concedeu uma autorização especial. Ele permitiu a abertura imediata da causa de Karol Wojtyla [o Papa João Paulo II] em 2006, reconhecendo-o como Servo de Deus (...).

O processo da beatificação está sendo conduzido pelo sacerdote [polonês] Slawomir Oder. Entre os relatos enviados a padre Oder, um foi o escolhido. Trata-se da religiosa francesa Marie Simon-Pierre. A freira foi curada do mal de Parkinson graças à intercessão do Santo Padre. O milagre foi reconhecido em 2010 por uma comissão liderada pelo médico particular de Bento XVI, Patrizio Polisca. (...)

A partir da beatificação, seu processo caminhará para a canonização. Para que ele seja declarado santo, é necessário um novo milagre. 'Agora, convido os fiéis a rezarem e levarem a conhecimento do postulador todos os casos que podem ser atribuídos à intercessão de João Paulo II', pediu Padre Slawomir Oder." (Rodrigo Luiz para revista Canção Nova - Maio de 2011)

BEATIFICAÇÃO: "Cerimônia pela qual o Papa declara digna de veneração alguma pessoa falecida." (Dicionário Priberam)

Internauta d'A Católica:

Às 5h37 da madrugada deste 1º de maio de 2011, acompanhei ao vivo pela transmissão da TV Horizonte, da Rede Catedral de Comunicação Católica, Bento XVI declarar João Paulo II beato, ou seja, Bem-Aventurado da Igreja. Logo depois, um enorme retrato do Santo Padre polonês, tirado em 1995, foi revelado à multidão estimada em mais de 1 milhão de fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano, e arredores.

Em seguida, o coral oficial da Diocese de Roma (Itália) entoou o hino da beatificação, cujo título, os narradores da transmissão traduziram para algo como "Abri as Portas para Cristo" - conforme Professor Felipe Aquino, trata-se de um pedido que João Paulo II fez ao mundo logo em seu primeiro discurso como Papa, em 1978.

Após o canto, uma relíquia do saudoso Pontífice foi levada ao altar: envolvida em um relicário de cor prateada em forma de ramos de oliveira, que evocam a paz, estava uma ampola com uma amostra do sangue de João Paulo II. Segundo os narradores da transmissão da TV Horizonte - entre eles, o comentarista Silvoney José -, o simbolismo é este: "Ele deu o sangue pela Igreja e pelo povo".

Duas mulheres levaram o relicário ao altar: uma freira de uma congregação do Sagrado Coração de Jesus (se não me engano), que trabalhou junto a João Paulo II e era de sua confiança, e outra religiosa, Marie Simon, que recebeu a graça da intercessão do Sumo Pontífice junto a Deus, Nosso Senhor, para se curar do mal de Parkinson - mesma doença que vitimou o beato polonês em vida.

No final da proclamação da beatificação de João Paulo II, que abriu a missa celebrada por Bento XVI na Praça de São Pedro, o Vigário-Geral para a Diocese de Roma, Cardeal Agostino Vallini, que havia lido um breve resumo da vida do saudoso Pontífice, e Padre Slawomir Oder, que trabalhou por seis anos na causa da beatificação, agradeceram e abraçaram o Papa.

Essa foi uma síntese da cerimônia que antecedeu a Celebração Eucarística, no inicinho da manhã deste primeiro domingo de maio (horário de Brasília).

Deixo aqui um abraço cheio de emoção da Bloggueira que lhe escreve!

E que João Paulo II, que os brasileiros carinhosamente chamam de João de Deus, possa interceder pela nação brasileira e todos as nações em todo o mundo. Mundo que o (agora) Bem-Aventurado polonês fez questão de conhecer in loco: de acordo com matéria de capa da revista IstoÉ, de 27 de abril/2011, "foram 104 jornadas a 129 países, com distância total percorrida de mais de um milhão de quilômetros". Saúde e Paz!!

Pope John Paul II during General Audiency, 29 September 2004,
St. Peter Square, Vatican - Fotografia de Radomił Binek

P.S. Para saber mais sobre o processo de beatificação, acesse: Cardeal explica detalhes do processo.

P.S.2 Conforme reportagem da emissora de TV Globo News, a festa do Beato João Paulo II deve ocorrer no dia 22 de outubro.

Imagem no início do Post: capa da revista norte-americana Time (Reprodução-Internet)


~Ana Paula~A Católica

Um comentário:

  1. AMÉM!!!Acho que todos nós , católicos ou não , nos abraçamos com emoção ao reviver a vida em santidade deste grande Papa. Exemplo tão contemporaneo de vida do cristão e do ser humano. Sinta-se abraçada também! Paz e bem!

    ResponderExcluir