3 de fevereiro de 2011

A little bit more of Poetry, internauta!

Um inseto invadiu minha casa e encheu meus instantes serenos
de perplexidade, interrogação e... Graça. (Este Post contém um poema d'A Católica.)

Open Door on a Garden (Sem Data), Konstantin Somov

Fonte da fotografia: Nieuw

O Intruso

Que mosquito inoportuno.
Entrou pela janela na minha sala quente,
zanzou em linhas retas e circulares,
batendo asas negras e lentas,
até sair pelo outro lado da casa.

Não me trouxe amigos, nem presentes.
Nada.
Só este susto. Este pasmo.

Mosquito alvissareiro: lá fora,
tem vida.
As coisas, os carros, os ares, as formigas
também zanzam (só que velozes) e bradam:
"Estamos indo, Ana Paula!", "Estamos indo...".

Sou tão pequenina, mosquito preto,
mas não o bastante para voar com você.
Em você.
Cavalgando entre suas asas, cortando a atmosfera,
saindo do frio, imergindo no quente.

Me resta estalar os olhos,
ao vê-lo invadindo meu ambiente.
Deixando uma dúvida:
expulso você? Espero ir embora?

Esperei. Você foi.
Fiquei para trás - a mesa com o café posta
e Carla Bruni cantando doce na TV.
(Fim do impasse.)
Obrigada, mosquito preto.

Obra de 1993 de Leon Wyczółkowski


~Ana Paula~A Católica
Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Um comentário:

  1. Vc é feliz, heim? Me encher de graça... só quando entra pirilampos. Fofinho seu poema! Vá lá no Alfa pegar um selinho para vc. Ofereço com muito carinho Ele é lindo! Bjbjbjbj!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.