31 de outubro de 2010

Viva o Brasil!! Temos uma (nova) presidente!

Sejamos razoáveis e respeitemos a escolha da maioria da nação:
Dilma Rousseff é a nova representante do Poder Executivo.
Só nos resta torcer por ela e rezar!

Definiu-se: a minha conterrânea de Belo Horizonte, a mineira Dilma Rousseff, foi eleita a primeira presidente da República Federativa do Brasil. E, conforme Post publicado em A Católica, a eleição de 2010 foi acirrada - incluindo na Blogosfera. Com direito, nas ruas, a fita adesiva arremeçada na cabeça de José Serra (o oponente), e a balões cheios de água lançados em direção à candidata vencedora. Xiii...

Até que enfim, acabou! Eleita democraticamente pela maioria dos votos dos cidadãos brasileiros, agora, resta-nos unirmo-nos todos em torno da nossa nova governante, rogando a Deus para que ela dirija a nação brasileira tendo em conta nossos valores mais caros (ou ao menos da maioria dos brasileiros, que têm uma crença): a vida humana, o amor a Deus e o respeito aos símbolos religiosos.

Do fundo do meu coração, rogo a Jesus Cristo para que todos os que torceram, fizeram campanha e promoveram a candidatura de José Serra, no corpo-a-corpo ou através de e-mails e artigos (de próprio punho ou, na grande maioria das vezes, copiados de outros sites na Internet), aceitem a derrota do político paulistano como os perdedores devem fazê-lo: com elegância e dignidade.

Isso implica aceitar, respeitar e rezar por Dilma Rousseff.

Houve um tempo no Brasil em que o povo estava impedido de eleger, através do seu voto, o presidente da nossa República. Na campanha das Diretas Já!, que ocorreu em 1984, milhares de brasileiros vestiram uma camisa amarela na qual se lia (se não me engano): "Quero votar para presidente!".

O movimento pedia o retorno das eleições diretas, na qual os cidadãos elegem diretamente o presidente do país. Desde 1964, início da Ditadura Militar no Brasil, até 1985, vigoraram as eleições indiretas, na qual representantes do povo no Congresso Nacional ou no Colégio Eleitoral é que elegiam o presidente da República. Por isso, todas as vezes em que escolhemos diretamente o novo representante do Poder Executivo é motivo de celebração!

Assim, que Deus abençoe a nossa nação.
Viva o Brasil! Viva o povo brasileiro! Viva a nova presidente do nosso país!

Convido você, neste instante, a dar uma pausa e rogar pela nossa nova governante:

Oração pelos Governantes
(Orações de todos os tempos da Igreja, Cléofas)

Senhor nosso Deus,
Vós governais todas as Vossas criaturas com carinho e amor.
Transformastes o Vosso poder em presença e serviço no meio dos homens,
para salvar a todos.
Não quereis que ninguém se perca,
mas olhais cada pessoa com o valor infinito.
Senhor, fazei com que essa Vossa imagem,
manifestada em Jesus Cristo,
se grave no coração e nas atitudes de todos os que nos governam:
nossa presidente, nossos governadores, nossos prefeitos
e todos os seus colaboradores.

Dai-lhes sabedoria, para que descubram
novos caminhos para o desenvolvimento,
sem sacrificar a paz e a unidade dos homens.
Dai-lhes amor, para que protejam e promovam
a vida humana acima de todos os outros valores.
Dai-lhes força, para que façam respeitar
os direitos universais dos homens,
acima de todos os partidos, ideologias ou instituições.

Que assumam os seus cargos como uma missão de serviço,
que tenham a coragem de ser honestos em todas as situações e decisões.

Senhor, ajudai-os a bem governar, com o povo e para o povo,
tornai-os sensíveis diante daqueles que mais necessitam.

Abençoai tudo o que fazem de bom e recompensai generosamente
os que exercem sua missão com sabedoria e amor.
É o que Vos pedimos por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo
e unidos no mesmo Espírito Santo. Amém.

Saúde e Paz!!

P.S. Quer saber direitinho o que um presidente da República faz? Clique aqui.

P.S.2 Ouça (e veja!) o maior cantor brasileiro, mineiro De Coração,
Milton Nascimento, entoar a música que embalou as Diretas Já!, neste Link.


Imagem: Brasão da República Federativa do Brasil - Domínio Público

~Ana Paula~A Católica

A importância do MEU voto hoje

Na fotografia, atrás dessas três crianças junto a um ministro branco,
Martin Luther King e sua esposa clamam pelo direito de votar.
Nós, que votamos "por obrigação", não dimensionamos a importância disso

Está vendo essa foto acima? Encontrei-a na Internet e emocionei-me. Até mesmo as crianças: Donzaleigh Abernathy, de suéter listrado, o menino Ralph David Abernathy e Juandalynn R. Abernathy, de óculos, parecem entender a seriedade do momento e portam-se como verdadeiras manifestantes, ajudando no provável "grito de guerra" (afinal, toda manifestação que se preze tem um "grito de guerra").

A legenda diz que se trata de uma marcha do "Movimento pelos Direitos Civis". Conforme encontrei em minha pesquisa, em março de 1965, durante quatro dias, os manifestantes percorreram os 87 km que separam as cidades de Selma e Montgomery, no Estado norte-americano do Alabama. Na fotografia, o co-fundador do movimento, Ralph David Abernathy, justamente o pai das três crianças e que lidera a marcha, vem seguido de ninguém menos, senão Martin Luther King e sua esposa, Coretta Scott (1927-2006).

29 de outubro de 2010

Quando ateus tentam perturbar a nossa Fé em Deus

Meus pais me prepararam para nunca duvidar desta Verdade:
Deus existe. E Ele pôs um Anjo da Guarda na vida de cada um de nós...
... A fim de nos acompanhar "Pela estrada afora..."
(só Chapeuzinho ia "bem sozinha levar doces para a vovozinha". Nós, não)

Uma das lições mais preciosas da minha vida foi saber que tenho um Anjo da Guarda e preciso rezar para ele:

Anjinho da Guarda,
Meu Bom amiguinho,
Me leve sempre
Para o Bom Caminho. Amém.

Antes de saber de Deus, de Jesus, de Nossa Senhora e dos tantos e tantas santos e santas maravilhosos da Igreja Católica, eu aprendi que existe um anjo lindo, de longas asas brancas e fios compridos, ondulados e amarelos na cabeça me acompanhando, como diria Chapeuzinho Vermelho, "Pela estrada afora...". Era (e ainda é) um conforto saber que, aconteça o que acontecer, eu não estou sozinha.

A fé nisso e, um pouco mais tarde, a fé em Jesus (que conheci e passei a amar montando presépios no Natal) misturaram-se no meu DNA desde cedo. Para mim, é tão fácil saber que Deus existe, que Ele, Jesus Cristo e o Espírito Santo são um só, que Nossa Senhora é a Mãe de Deus e nossa, que depois de morrermos podemos nos juntar à Glória Celeste... Que não dá para conceber uma vida aqui, neste mundo, sem crer em tudo isso.

Mais do que escola, comida, remédios e brinquedos, a fé em Deus é a maior herança, o maior tesouro que os pais podem dar a seus filhos. Por quê?

28 de outubro de 2010

Eu encontro prazer no trabalho braçal!

Fora de moda não é gostar de lavar, lustrar e organizar.
Fora de moda é achar que Amor tem tempo, peso e medida,
no tempo e no espaço. Ame!

Hoje foi um dia de pôr a mão na massa. Ficar com elas pretas. Ops. Melhor não exagerar: cinzas. Como uma boa dona-de-casa, peguei meu conjunto de panelas inox e, com uma pasta especial, apropriada, saí lustrando uma a uma. Depois, espanei o resíduo escuro, lavei-as, enxuguei-as e guardei-as uma a uma.

Trabalho braçal. Desses que nos faz sentir que bíceps e tríceps não são conversa fiada de livros de Biologia ou de Anatomia: eles existem mesmo. E o suor na testa, então? Que calor. Fazer força dá calor.

27 de outubro de 2010

Fazer cara feia não vai resolver os nossos problemas

Vê a feição dessa girafa? É assim que ficamos quando mostramos aos outros
quão preocupados estamos com as nossas questões.
Já pensou se todo mundo decide fazer essa mesma cara?
Não haveria espaço para a beleza ou o sorriso no mundo...

Aprendi com a Canção Nova que: "O problema é meu, a minha cara é dos outros". Não sei se a frase é exatamente essa, mas ouvi dizer, acompanhando a programação da TV Canção Nova, que o fundador dessa comunidade católica, Monsenhor Jonas Abib, costumava ter a feição sisuda. Depois de muito treino - provavelmente diante do espelho! - finalmente conseguir transmutá-la para uma bem sorridente. E impôs isso a todos os seus consagrados: quem é Canção Nova tem que ter uma cara boa para o seu próximo.

Lindo isso, não?

Pode parecer "falsidade" ter um semblante alegre quando estamos chafurdados em problemas mal (ou simplesmente não) resolvidos. Contudo, pensemos juntos: quem não tem problema? Só quem está há sete palmos debaixo da terra, não é mesmo? O que me fez lembrar de um poeminha maravilhoso do saudoso poeta paranaense - um dos meus favoritos! - Paulo Leminski (1944-1989):

26 de outubro de 2010

Eu sou Católica. Apesar de tudo (e de todos)

Não obstante tantos obstáculos, até mesmo dentro da própria Igreja,
consigo ver, além das montanhas:
Deus, Nossa Senhora, o Espírito Santo e, claro, Jesus Cristo

Moramos uns anos em Betim - na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Éramos criancinhas - minha irmã Andreá Cristina e eu - de 4, 5 anos de idade (se não me falha a memória). Lembro que para ir à capital, ou a BH, pegávamos um ônibus vermelho que fazia o trajeto por uma BR (rodovia federal, aqui no Brasil). Então, numa dessas viagens, perguntei à Mamãe Gali: "Estamos chegando?". "Sim." "Onde fica Belo Horizonte?" "Atrás da montanha." "E o parque [de diversões]?" "Também. Atrás da montanha."

E ficava mesmo. Com isso, aprendi que, mesmo sem enxergar, mesmo com aquele sol que ultrapassava a janela transparente do ônibus e embaralhava-me a vista, mesmo com aquelas enormes montanhas e montes verdes ladeando a BR, sim: havia a capital e os seus atrativos, como o Parque Guanabara, na Lagoa da Pampulha. (E eu tenho um orgulho danado de ele ainda existir e funcionar perfeitamente. É tão bom algo da nossa infância continuar existindo e com tamanhas cor e força!...)

25 de outubro de 2010

Fazer as coisas mal feitas... Pode gerar discórdias

Um pão ruim pode ser estopim
de situações desagradáveis. Seria diferente,
caso o padeiro o tivesse feito com... Amor!
Estive pensando na cadeia de sucessões que é a vida. A nossa vida. Há dois dias, o pão que meu marido traz da padaria não é o mesmo. Está mais ácido ou azedo - nem sei descrever o gosto. Hoje, ele me disse que interrogou as moças que embrulham os pães dos clientes e uma delas relatou:

É que o padeiro está de férias. É outro que está fazendo o pão agora. Ah: o senhor não é o único a se queixar. Todo mundo está reclamando...

Farney me disse que não se queixou: apenas perguntou o porquê da diferença no sabor. Na hora, comentei com ele: "Olhe só o que dá um serviço mal feito...".

Continuei:

24 de outubro de 2010

Você pensa em COMO estará depois da sua morte?

Uma princesa alemã escreveu em um diário
suas conversas com Almas do Purgatório.
Algumas mulheres tinham bocas de aspecto horripilante.
A obra original foi entregue nas mãos do Papa Pio XII,
amigo íntimo da família von der Leyen

Estou lendo um livro intrigante. Talvez seja cedo para eu falar dele aqui. Mas, o que a leitura está me revelando é forte demais, portanto, não vou conseguir resistir e esperar chegar até a página 219 - a última. Estou na 90. Meu marido se queixa, porque, ao lê-lo, é inevitável: vou logo soltando "Oh! Oh! Oh!", estupefata com o que vou descobrindo.

A essa altura, você deve estar curiosa (ou curioso): afinal, que bendito livro é esse?...

Pois bem. O título é Conversando com as Almas do Purgatório (Ave-Maria, 1996). Trata-se da transcrição do diário da princesa alemã Eugênia von der Leyen (1867-1929) que, entre 1921 até poucos dias antes de sua morte, em janeiro de 1929, recebeu visitas das almas.

23 de outubro de 2010

Bebê Blog completa 3 meses de VIDA!! Obrigada a Deus e a você!


Não é brincadeira. Ou melhor, eu não estou brincando. O título dessa foto acima, de Nils Fretwurst, é Baby Boy 3 Month Old - em bom português: Menino aos 3 meses de idade. E é justamente esse o tempo de vida do Blog A Católica!! Iuhuuu!!!

Tenho muito a agradecer.

22 de outubro de 2010

Uma música da cantora Pink

Alecia Beth Moore canta e compõe "com as entranhas".
Ela musicou o divórcio dos pais: impossível não se comover com a canção.
Trata-se de uma Grande Artista

Estávamos meu marido e eu tomando o café-da-manhã, depois de lermos a Bíblia (eu não sou besta de descurar da proteção divina logo cedo, né?), quando começamos a saltitar com o controle remoto pelos canais da TV.

Depois de assistirmos à segunda metade de um vídeo clipe da cantora pop norte-americana Katy Perry - com direito à tradução da música na parte debaixo da tela -, começou um outro da também norte-americana Pink. Na hora, lembrei-me da Viviana Paula, a minha melhor amiga. Por quê?

Porque o clipe era da canção Family Portrait, que a Biru-Biru - como eu a chamo - sabe cantar inteirinha com seu inglês fluente e lindo (há dez anos, ela vive na África do Sul. Sim: o país da última Copa do Mundo, que a Espanha faturou). Meu Deus. Eu nunca havia assistido a esse vídeo. Fiquei comovida.

21 de outubro de 2010

E se o sol... Apagasse?

Está vendo o ponto brilhante, um pouco acima do filamento
de radiação ultravioleta da supermancha solar?
Conforme a Folha, "se ocorresse uma explosão,
toda a estrutura entraria em erupção"

Adoro tirar dúvidas de português no site do jornal Folha de S. Paulo. Fui lá para conferir se "roda gigante" se escrevia com ou sem hífen e eis que me deparo, na página principal, com uma foto linda e azulada do Sol. Uau. Adoro o sol e suas tempestades solares - a notícia é que a Nasa, a agência espacial norte-americana, fotografou uma supermancha solar na hora em que ela "lança labaredas no espaço" (reproduzi a imagem desse instante n'A Católica, acima).

Observação: segundo o site do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, manchas solares são manchas na superfície do sol ou regiões de campos magnéticos fortes. A formação delas não estaria "totalmente desvendada".

Bem, depois que li que muitos cientistas (muitos mesmo, de acordo com a seção de ecologia do Blog do Professor Felipe Aquino) estão certos de que o que mais influencia o clima aqui na Terra são os eventos na nossa estrela-mor, vulgo Sol, aí é que fiquei mais fã dele! Quero dizer: TUDO o que se passa no sol me interessa. E muito.

Presos na Roda Gigante da vida

Somos como este bebê: atados à rotina e perplexos por não sairmos desse lugar.
Contudo, algumas vezes, tudo parece tão novo:
são as surpresas - surpresinhas - que a vida reserva à gente!

Nota: Estou revendo textos antigos, escondidos em um envelope no armário. Alguns (creio) são interessantes e vou dando-os à luz aqui n'A Católica. Este, por exemplo, escrevi em 10 de dezembro de 2006. Parece sem esperança, mas, no fundo, expõe uma verdade. Boa leitura!


Minha palavra preferida


Nota: Este texto foi escrito poucos anos atrás - não registrei a data, mas certamente entre 2005 e 2007. Transcrevo-o hoje, porque foi mais um dia de "sofrer" uma nova crise de enxaqueca (o meu Espinho na carne). Aprendi com tanta dor a valorizar o nosso Maior Bem - ou o segundo maior, logo depois da Fé.


20 de outubro de 2010

Tema de Larissa

Minha prima ganhou o primeiro nome, Larissa,
em homenagem a um dos filmes favoritos de sua mãe,

Tia Beth Camargo: Doutor Jivago (1965).
Ambientado na Rússia, uma das tomadas mais lindas
é a de um campo de flores amarelas...

Você não fica zangado comigo? É que a gente ama muito todo mundo. Mas... Algumas pessoas nos são, digamos, mais especiais. E quem explica esse amor? Só Deus. Ah, se a gente pudesse escolher por quem se apaixona... Quantas dores de cabeça isso me teria evitado no passado! Especialmente, quando o nosso afeto não é correspondido. Estou falando no caso de amor entre homem e mulher. Agora, na nossa família, entre os membros dela, também é assim: há aqueles que a gente ama de um modo mais especial.

E no meio dessas pessoas destaca-se, para mim, minha prima Larissa Cristina.
(Se você acompanha mais miudamente as publicações deste Blog, sabe que vira e mexe, mexe e vira, falo nela.)

19 de outubro de 2010

Salve, São Lucas!!


Como aproveitei o meu tempo de Catecismo!... Tinha entre meus 9 e 10 anos de idade. Era aplicadíssima. Minha irmã, Andréa Cristina, e eu participamos juntas. Algumas aulas estão vivas dentro de mim - especialmente o retiro que fizemos, antes da nossa primeira confissão. Sim: para a menina que eu era, sentar-se diante do padre e contar TUDO o que fiz de errado na minha viiida inteeeira era tão inédito e especial quanto receber o Corpo de Cristo. A 1ª Confissão foi tão impactante quanto a 1ª Comunhão.

Relembro tudo isso, porque ontem foi o dia de São Lucas.

17 de outubro de 2010

Pelo amor de Deus: vamos nos cumprimentar Com Amor!

Ô, Meu Deus!... Seria tão bom, tão cristão, se ao menos nos encontros familiares
nos saudássemos com Afeto, Atenção ou no mínimo com Educação!...

Ontem, uma pessoa muito próxima a mim, muito querida (não, não é o meu marido), fez uma queixa pertinente. Ou melhor: que bateu nas minhas entranhas e me tirou do sério. Sim, eu confesso. Não é difícil me tirar do sério: já até contei em um Post deste Blog que um dos meus maiores pecados é a ira. Sofro de CPPMS - Capacidade de Perder a Paciência Num Milionésimo de Segundo.

Retomando: o que me tirou do sério é sério. Grave. No fundo, bem no fundo, penso que você concordará comigo. Do que essa pessoa muito querida se queixou é que fulana (não: não vou dar nome aos bois ou, no caso, às vacas) "passou por mim, pisou no meu pé e fingiu que eu nem estava ali: além de não pedir desculpas, nem me cumprimentou...".

Caro internauta: há N coisas que me irritam. Mas uma delas, e eu diria que está no **TOP FIVE** das coisas que me tiram do sério, é ALGUÉM NÃO TRATAR UMA PESSOA COMO SE ELA FOSSE SER HUMANO. O mínimo que você e eu devemos aos outros é respeito e educação.

15 de outubro de 2010

Você se alimenta do que é ruim?

Padre Léo alertava: "A salvação entra pelo ouvido".
Acompanhar telejornais e novelas pode nos "ajudar" a imergir,
cada vez mais, em uma cultura da violência

Vivemos uma cultura da violência. Parece que para conseguirmos nos impor, para nos fazermos notados, para exigir respeito, só há uma forma: vociferar ou tocar no corpo do outro com brutalidade. Uma vez, uma colega de jornal (no tempo em que eu trabalhava como jornalista), recém-promovida a Redatora - pessoa que, entre outras funções, reescreve os textos dos repórteres -, desabafou comigo: "Ninguém me leva a sério". E por quê? Porque essa ex-colega minha era demasiado "doce", "educada".

Estou um pouco cansada dessa cultura. Uma cultura em que, para conseguirmos nos assentar dentro do ônibus, temos que "brigar", ainda no ponto, para embarcar primeiro. Cultura em que, para sermos atendidos na nossa vez, em um restaurante, só se for no grito. Cultura em que pais, maridos, chefes, professores só se fazem obedecer e ser tratados com reverência se... Ameaçarem, infudirem medo. E até cometerem "assédio moral".

Foi feito um altar para a violência. Ele se chama "tela". Tela da TV; tela do cinema; tela do vídeo game.

Hoje é dia da Teresona


Querida Santa Teresa de Jesus,
Boa Noite!

Enquanto lhe dirijo esta oração, minha cabeça dói. Mas, estou contente, porque para mim rezar contigo é uma alegria, uma benção.

Como Eu Te Amo! Ler a história da sua vida foi uma revolução para mim. Queria poder transformar a minha própria vida na linda oração em que tornou a sua. Uma oração de amor ao Reino dos Céus e a Jesus.

13 de outubro de 2010

O Resgate (ou Renascimento) dos Mineiros no Chile

O que os 33 trabalhadores passam é uma metáfora eloquente da nossa vida:
do "fundo do poço", eles emergem (de novo) para a LUZ. Tem jeito!

Eu já estive em uma mina. Em Ouro Preto, antiga Vila Rica (capital do Estado de Minas Gerais, no Brasil, de 1720 a 1897). A extensão da Mina do Chico Rei é de 1.500 metros e os poucos metros que percorri me causaram mal-estar, náusea, uma vontade louca de estufar as paredes estreitas com meus próprios braços e sair correndo de volta, de encontro à luz.

Meu marido me disse que os 33 mineiros – 32 chilenos e um boliviano - que ficaram quase 70 dias a cerca de 700 metros de profundidade na mina de San José, no deserto de Atacama, no norte do Chile, estavam mais preparados do que qualquer um de nós para enfrentar essa situação. Afinal, são “mineiros”, acostumados ao escuro e isolamento dos subterrâneos da Terra.

Concordo. Mas, quase 70 dias! É um pouco demais, não acha? Setenta dias no “fundo do poço”. Literalmente.

Por que insistimos em apontar o dedo para os outros?

Tio Sam apontava o dedo para dizer que o governo dos EUA
queria você para lutar na guerra.
Nós fazemos o mesmo para "sentenciar" quem presta e quem não presta.
Duvido que Nosso Senhor, que nos ordenou a fazer o contrário,
esteja contente com isso...

Quando comecei a ler a Bíblia, lá pelos idos de 2007... Ops. Deixe-me esclarecer: antes de conhecer o (excelente) método do Monsenhor Jonas Abib, eu apenas lia a Bíblia, sem meditá-la, como se fosse um livro qualquer. Retomando: quando comecei a tatear a Palavra de Deus, a me aproximar dela, uma das passagens que mais fundo calaram em mim é esta:

"Não julgueis, e não sereis julgados. Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos. Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu? Como ousas dizer a teu irmão: Deixa-me tirar a palha do teu olho, quando tens uma trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão" (Mt 7, 1-5).

12 de outubro de 2010

As aparências podem (algumas vezes) enganar

"A primeira impressão é a que fica". Quem de nós já não ouviu essa frase? É tão repetida, que parece verdade. Talvez seja mesmo. E poucos de nós conseguimos (ou queremos) ir além dessa impressão inicial. "Fulana é tão legal..." - meu marido comentou comigo uma vez. Eu respondi: "Sei... No botequim, tudo mundo é legal". Eu já sabia que a pessoa a que ele se referiu não era nada legal. Ao menos não o era como filha: disseram-me que negligenciava a mãe, que precisava de cuidados.

E assim vamos pela vida, achando que é "legal" alguém que pouco tem de "legal".

11 de outubro de 2010

Sim: há 34 anos, eu nasci

Quando crianças, queremos presentes. Adultos, queremos só agradecer.
E tenho uma dívida de gratidão a Deus pelas pessoas incríveis,
que Ele colocou na minha vida. Obrigada, Senhor!!

Este Post é completamente diferente, porque hoje - há 34 anos atrás - eu nasci. É meu 1º aniversário com um Blog. Daquele dia, uma manhã bem cedinho de 1976, algumas pessoas me passaram a impressão que tiveram. Tia Beth Camargo - minha tia Amada e Querida - me conta que ficou impressionada com os meus olhos beeem abertos: nunca se esqueceu disso. Dela, ganhei o carinhoso apelido de "Princesa".

Mamãe Gali me fala que, logo depois do parto, já no quarto, quando a enfermeira deixou-me na cama, bem ao seu lado... Ficou "sem graça". Sim: mamãe me conta que eu a encarei tão a fundo, como se lhe dissesse: "Isso aí é que é minha mãe?...", que ficou desconcertada!! Imagine: uma recém-nascida, poucas horas de vida, e já deixava alguém - por acaso aquela que me trouxe ao mundo - sem jeito!!...

10 de outubro de 2010

Amando Jesus INTENSAMENTE

Em Meditando com Pecadores e Pecadoras do Evangelho, o autor nos incentiva
a "manifestar amor [a Jesus] do jeito que sabemos fazê-lo, sem preconceitos".
É justamente isso que o pequeno órfão faz no tocante Marcelino Pão e Vinho

Comecei ontem a rever (pela terceira vez) o excelente, maravilhoso, incrível fime Marcelino Pão e Vinho (1955). Coloquei o DVD para que meu priminho inteligentíssimo Gabriel Augusto - que vive em São Paulo - pudesse conhecer sua história. Apesar de tão novinho, recém-completados 7 anos, meu temor de que achasse o filme chato (já que é em preto-e-branco) não se atestou.

Gabriel ficou paradinho no sofá, diante da TV, acompanhando com interesse as estripulias de Marcelino. Aprendeu até uma palavra nova: traquinas. Marcelino é traquinas.

Chorei quando assisti a esse filme pela primeira vez. Não. O que me encantou mesmo não foi o fofíssimo ator que interpreta o papel de Marcelino, nem o seu enorme desejo de conhecer a mãe (já que a personagem é órfã, criada por 12 religiosos franciscanos). O que me enterneceu às lágrimas foi Jesus Cristo, que tem uma participação toda especial no longa-metragem. Não entrarei em detalhes, porque caso você não tenha assistido, não serei eu quem estragará essa doce, maravilhosa surpresa. Sim: Jesus em pessoa está no filme.

Tentarei expor o meu encantamento sem "entregar o ouro", como se diz.

7 de outubro de 2010

Eleição: em meio à troca de farpas, que é do Amor?

Durante os anos de chumbo, Chico Buarque entoava que todo mundo parou
"pra ver a banda passar cantando coisas de amor"...
Nestes meses de chumbo, que antecedem a eleição presidencial,
quando estenderemos a mão a nossos irmãos, em vez de atacá-los?

A Banda, do compositor, cantor e escritor Chico Buarque, estourou no Brasil em plena Ditadura Militar (1964-1985): no ano de 1966. O clima estava tenso, o ar, quase irrespirável - só não dou mais detalhes, porque fui nascer dez anos depois.

No meio de tanta repressão, o artista carioca (e não paulista como muita gente acredita) aparecia com uma canção ultrassingela, cujo êxito se deveu provavelmente a isto: a oposição entre aquilo que é belo - e que Chico ressalta nos versos - e a feiura do momento político que o Brasil vivia.

6 de outubro de 2010

Graças a Deus: nós temos memória!!

Perfumes, canções, fotografias...
Tudo desculpa para acionar um grande, imenso presente de Nosso Senhor para nós:
a habilidade de Relembrar e Ser Feliz Alguns Instantes Mais!

Não sei se é assim com você também. Quando a coisa fica feia para o meu lado, recorro à memória. Se discuto com o meu marido, lembro daquele instante em que nos conhecemos, nossa primeira conversa, os jantares que dividimos num dos "bandejões" do campus da Federal (Universidade Federal de Minas Gerais). Está tudo tão vivo em mim. Minha memória é tão "brilhante" - não no sentido de excelente, mas no sentido de viva -, que chego a sentir o cheiro do perfume que ele usava.

Enquanto essas lembranças de quando nos conhecemos forem brilhantes para mim, sempre o amarei, porque recorro à fonte, à causa primeira e me apaixono de novo por aquele rapazinho de 22 anos - hoje, ele tem 32.

4 de outubro de 2010

A mídia devia dar mais espaço à vida dos Santos

Teresona: a Santa Apaixonada.
Os jovens, todos nós deveríamos almejar ser como ela,
São Francisco e Santa Teresinha: ao buscar a própria Felicidade
e Realização, acharam Deus (ou seria o contrário?)

O mês de Outubro reserva grandes surpresas. A maior delas é que nele se celebra três santos de minha devoção: no dia 1º, a francesinha Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face; hoje, dia 4, o Pobrezinho de Assis, São Francisco, e no dia 15 a grande, imensa, Teresa de Ávila ou, como ela gostava, Teresa de Jesus, ou, como Padre Léo a chamava para diferenciá-la de outras Teresas santas e tantas, "Teresona".

Se você ainda não sabe, retornei à Igreja Católica em setembro de 2007. Mais exatamente em 15 de setembro de 2007, quando procurei o padre da Paróquia vizinha à minha e me confessei, depois de zilhões de anos afastada.