9 de dezembro de 2010

Recado aos desinformados: SOU pecadora

Muita gente confunde a exibição da nossa religiosidade com santidade.
Ei: ser católica não me obriga a ser perfeita. Apenas a tentar sê-lo

Caro internauta,
Saudações!!

Este Post lista quatro recados àqueles que acham que, porque não escondemos de ninguém o nosso esforço (árduo e muitas vezes em vão) de melhorar a nós mesmos em todos os aspectos, ao exibirmos a nossa Bíblia, nos confessarmos frequentemente (e dizê-lo aos 4 ventos), assistirmos à Santa Missa, etc., temos a obrigação de nos comportar como ainda não somos (lê-se: como santos).

Esse grupo de pessoas não perde a oportunidade de pegar o seu lindo (ou não tão lindo) dedo indicador e nos apontar, dizendo: "O que adianta ler tanto a Bíblia, se você continua assim?" ou "Não sei por que vai à missa: não está adiantando nada" ou "Você é muito bom de teoria cristã, mas de prática ..." ou "Eu não rezo tanto, não me confesso, e sou melhor do que você" ou "Ainda bem que sou espírita, católico dá nisso aí...".

1) SE você não é católico e nunca disse nada disso a alguém, Meus Parabéns.
2) SE você é católico e já ouviu alguma das frases acima, este Post é para você.
3) SE você não é católico e concorda com aquelas frases, este Post é TODO SEU.

Puxe uma cadeira, recoste-se no seu encosto. Você é meu convidado para degustar - quiçá, engulir - cada um dos seguintes recados.

O que adianta ler tanto a Bíblia, se você continua assim?

Filho de Deus: ler tanto a Bíblia e não me desgrudar dela NÃO é sinal de santidade. Muito pelo contrário: estar constantemente com ela nas mãos só pode significar que, se preciso desesperadamente da sua companhia, é porque suas palavras me são imprescindíveis. Ou seja: tenho muito a aprender.

Ninguém que já sabe que 2 + 2 = 4 tem urgência de andar com o livro de "Iniciação à Matemática" debaixo do braço. É tolice. Se já conheço as vogais, as consoantes, aprendi a separar as sílabas, sei diferenciar um substantivo de um verbo, para quê ter o livro "Nossa Língua Portuguesa" dentro da bolsa? Se interiorizei noções do descobrimento do Brasil, do avanço dos bandeirantes para seu interior, da luta pela independência, da proclamação da República, para quê viver folheando "História do Brasil - Volume 1"?

Se eu fico com a Bíblia para cima e para baixo, lendo, riscando passagens dela, resumindo e anotando o meu diário espiritual*, isso só pode denotar UMA ÚNICA coisa: eu não sou santa; eu não sei nada; eu interiorizei muitíssimo pouco. Estou sedenta de ensinamentos, de decorar as lições. Quanto mais você me vê com a Bíblia, mais pecadora eu sou, porque, se preciso tanto dela, é porque ainda não aprendi. Quase nada.

Não sei por que vai à missa: não está adiantando nada

Filho de Deus: é impossível uma pessoa que frequenta a Santa Missa e comunga - recebe o corpo de Cristo na hóstia consagrada - não melhorar ao menos um pouquinho. SE você acha que "não está adiantando nada", aconselho-o a sair (um pouco que seja) dessa sua postura preconceituosa, na qual sem dúvida alguma está agarrado, e analisar quem você julga que "continua o mesmo" de uma perspectiva diferente.

Vejamos. "Não está adiantando nada"? Como pode ter tanta certeza disso? Só Deus sonda os corações. Nem mesmo uma mãe pode afirmar que conhece os pensamentos de um filho. É muita petulância dela achar que o conhece "muito bem", que sabe medir as intenções de seus passos. Uma mãe que diz isso comete o pecado da soberba. Quer ter um papel que não lhe cabe. Repito: só Deus conhece o nosso íntimo e julga-o com sabedoria.

Se apenas Deus nos conhece de verdade, e sabe quando o nosso comportamento é reto (embora a muitos ele pareça errado), como eu posso ousar assegurar que uma pessoa não está mudando para melhor?

Primeiro: eu estou com ela 24 horas do dia para ter tanta convicção? Segundo: eu estou dentro da sua consciência para ter alguma noção de que ela podia ter agido muito pior e que, contudo, soube tomar um rumo diferente?

Explicando: no calor de uma discussão, embora a pessoa que você acha que "não está mudando" tenha proferido palavras más, como você pode sustentar que ela não refreou a própria língua a fim de evitar dizer coisas piores? Em outros termos: aquela pessoa que, para você, não está mudando para melhor (apesar de ir muito à igreja), pode ter tomado um caminho diverso e calado palavras piores.

Entende aonde quero chegar? POR PIOR que uma pessoa que frequenta a missa nos pareça, acredite: no fundo, talvez bem longe dos nossos olhos e ainda mais longe da nossa pretensão de "conhecer a verdade", Deus está operando, devagarinho e decisivamente, pequenas melhoras que, daqui a anos, farão TODA A DIFERENÇA. Deus não é escandaloso: as maiores mudanças que Ele opera se dão passo depois de passo e silenciosamente.

Você é muito bom de teoria cristã, mas de prática ...

Filho de Deus: adoramos ser juízes uns dos outros, não é mesmo? (Já falei disso no Post Por que insistimos em apontar o dedo para os outros?.)

Bem: a 3ª sentença contém um erro. E ele está bem na 1ª parte "você é muito bom de teoria cristã". Não. Não é. Ou melhor: não sou. Porque quem é bom de teoria cristã, consequentemente deve ser bom de prática. Também. Logo, se eu não sou boa de prática é porque não sou boa nem mesmo de teoria, que é o princípio da prática. Isso me lembra a Parábola do Semeador. Acompanhe.

"Havia se reunido uma grande multidão: eram pessoas vindas de várias cidades para junto dele [Cristo]. Ele lhes disse esta parábola: 'Saiu o semeador a semear a sua semente. E ao semear, parte da semente caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. Outra caiu no pedregulho; e, tendo nascido, secou, por falta de umidade. Outra caiu entre os espinhos; cresceram com ela os espinhos, e sufocaram-na. Outra, porém, caiu em terra boa; tendo crescido, produziu fruto cem por um'.

Dito isto, Jesus acrescentou alteando a voz: 'Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!'. Os seus discípulos perguntaram-lhe a significação desta parábola. Ele respondeu: 'A vós é concedido conhecer os mistérios do Reino de Deus, mas aos outros se lhes fala por parábolas; de forma que vendo não vejam, e ouvindo não entendam. Eis o que significa esta parábola: a semente é a palavra de Deus.

Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem; mas depois vem o demônio e lhes tira a palavra do coração, para que não creiam nem se salvem. Aqueles que a recebem em solo pedregoso são os ouvintes da palavra de Deus que a acolhem com alegria; mas não têm raiz, porque creem até certo tempo, e na hora da provação a abandonam. A que caiu entre os espinhos, estes são os que ouvem a palavra, mas prosseguindo o caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas e prazeres da vida, e assim os seus frutos não amadurecem. A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança." (Lc 8, 4-15; Mt 13, 1-23; Mc 4, 1-20)

Traduzindo: quem ouve a palavra e deixa o encardido roubá-la ou quem a ouve e a perde e ainda quem a ouve e se esquece dela, bem, não entendeu a palavra, portanto, não é bom de teoria. Assim, por não ser bom de teoria, acaba não sendo também bom de prática (não "dá fruto pela perseverança"). Ouvir, mas perder; ouvir, mas abandonar; ouvir, mas esquecer não é ser bom de teoria. Quem não põe em prática é porque desprezou a teoria. Eis a mensagem clara de Cristo. Eis por que eu não sou boa de jeito nenhum!...

Eu não rezo tanto, não me confesso, e sou melhor do que você

Filho de Deus: parabéns.

Primeiro: SE você já "é melhor" do que eu sem rezar muito e sem precisar se confessar com um padre (Oh Lá Lá!), imagine como você seria ainda melhor caso fizesse ambas as coisas, hein? Segundo: Por outro lado, você se contenta mesmo em ser melhor do que eu, uma pobre católica reincidente nos próprios erros, pecadora como eu só? Ser melhor do que eu, acredite-me, não é vantagem alguma! Um conselho: almeje mais!

Ainda bem que sou espírita, católico dá nisso aí...

Não vou polemizar com a crença espírita kardecista. Nem com seus seguidores.

Só quero dizer isto: quando eu era espírita kardecista não entendia por que o cantor Roberto Carlos, embora simpatizasse tanto com Chico Xavier (notório médium brasileiro), persistisse em continuar católico apostólico romano. (Nota: médium é uma "pessoa que pode - na opinião de alguns - servir de intermediária entre os vivos e os espíritos".)

Ah, como o mundo gira! Gira, gira mundo. Roberto Carlos, a quem nós brasileiros carinhosamente chamamos de Rei: agora, eu entendo.

Recados dados. Saúde e Paz!!

P.S. Para entender o que é *diário espiritual, veja o Post É fácil ler a Bíblia!.

P.S.2 Este Post é dedicado a minha mãe, Magali, e à minha irmã, Andréa Cristina.


Fotografia de Petr Kratochvil


~Ana Paula~A Católica
Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Um comentário:

  1. Parabéns minha cara irmã! Meio que "por acaso" cheguei a este blog. Fiquei conteten em tomar conheciemto de alguém que tem boa consciencia de ser católica.
    Me chamo Ricardino Lassadier, sou professor, casado (quatro filhos) trablhao na Igreja com fomração convido-lhe a ir ao google digitar meu nome e você terá acesso a artigos e também alguns vídeos muito simples. Se desejar useos em seu blg.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.