20 de dezembro de 2010

As canções que só eu canto para JESUS

A proximidade do NATAL me faz querer dedicar com mais frequência
até mesmo composições "do mundão" à Pessoa que mais amo:
Ele, o Menino que nasceu em Belém, cresceu em Nazaré e partiu em Jerusalém

Querido internauta d'A Católica!

Deu uma espiadinha no meu perfil?

Está aí ao lado, no chamado sidebar do Blog (conforme aprendi com a blogueira Nospheratt, do necessário Blosque). O título é The writer, ou "A Escritora" em inglês, e lá eu me resumi com três expressões: "Devota de 21 santos, leitora voraz, louca por Música Popular Brasileira!". Quando eu digo louca é louca mesmo. Do tipo que ouve música todos os dias. E de olhos fechados.

Assim, hoje, olhando para as inúmeras imagens de Jesus que tenho armazenadas no meu computador, uma canção veio logo à minha mente - creio que devido à iminência do Natal! Você vai rir. Eu sei. Você vai. Mas... Ela veio! O que se há de fazer? Chama-se Zazueira, é de Jorge Ben Jor e fez muito sucesso na voz do incomparável Wilson Simonal.

Ele vem chegando
(Ele vem chegando)
E feliz vou esperando
(e feliz vou esperando)
A espera é difícil
(a espera é difícil)
Mas eu espero sambando
(mas eu espero sambando)

Menino bonito com céu azul
Ele é uma beleza
Menino bonito, Você é demais
A alegria da minha tristeza

(...)

Pois uma flor é uma rosa
Uma rosa é uma flor
É um amor Este menino
Este menino é o meu amor

Posso ou não posso cantar essa música para o Menino Jesus? Combina ou não combina? Grifei as palavras que estavam no feminino e que troquei para o masculino, a fim de dedicá-la melhor a Nosso Senhor!

Ah, eu adoro fazer isto: pegar o excelente e inigualável repertório da Música Popular Brasileira, também denominada MPB, e escolher aquelas composições que posso oferecer a Jesus. Geralmente, são canções de amor - de um homem para uma mulher e vice-versa. E em vez de pensar no amor humano e carnal, eu as canto pensando em Cristo.

Veja esta, por exemplo: Velha Infância, parceria da estupenda Marisa Monte com Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Davi Moraes e Padro Baby.

Você é assim:
Um sonho pra mim
E quando eu não Te vejo

Imagem de Pietro Cavallini, de 1295-1300
Eu penso em Você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito

Eu gosto de Você
E gosto de ficar com Você

Meu riso é tão feliz Contigo
O meu Melhor Amigo é o meu amor

E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa

De ser criança...
A gente brinca...
... Na nossa velha infância

Seus olhos, meu clarão,
Me guiam dentro da escuridão.
Seus pés me abrem o caminho;
Eu sigo e nunca me sinto só.

Você é assim:
Um sonho pra mim;
Quero Te encher de beijos*

(...)

Esta parte *Quero Te encher de beijos não lembra o que Maria de Betânia (Jo 12, 1-8) e a "mulher pecadora" (Lc 7, 36-50) fizeram, como relatei no Post Amando Jesus INTENSAMENTE? Ah, quem me dera cobrir Jesus Cristo de beijos como as duas fizeram! Já que não posso (por ora), então ao menos eu canto isso, certo?

Tem outra música, atribuída a Zé Renato, Claudio Nucci e Ronaldo Bastos, A Hora e a Vez, que também adoro cantarolar pensando Nele.

... Pensando no meu retorno à Igreja Católica, no meu esforço em me tornar cristã autêntica e também em como Jesus e a Sua mensagem são irresistíveis. Encontrá-Lo é um ponto decisivo e sem volta na nossa miséravel vida. Que ganha todo o seu sentido, somente devido a esse encontro.

Vê quantas voltas
Tem que dar o amor
Fica com medo
De querer chegar

Paga a promessa
Que não fez
Diz a verdade
Ao mentir

E não tem volta não
Volta não

Olha no espelho
E só vê o amor
Agora sabe
Que perdeu a paz*

Jogou o laço
E se prendeu
O inesperado
Aconteceu

A vez da caça
E a hora
Do caçador

(...)

Eu não sabia
Que era pra valer
Até um dia
Encontrar Você

A gente sabe
Que o amor não tem juízo
Mas brinca com feitiço
E quando se vê...

... Vai ser Você
Dono do meu coração

Vai ser Você
Dono do meu coração

Vai ser Você...

*Perdeu a paz. Tem gente que acha que ir no rasto de Deus é "achar a paz". Pelo contrário. Nós a perdemos. E o próprio Cristo alertou sobre isso:

"Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa" (Mt 10, 34-36).

De acordo com a nota de rodapé da Bíblia Ave-Maria:

Sentido: "minha vinda será ocasião de ódio entre os homens, declarando-se uns por mim, outros contra mim".

A mesma passagem acha-se no Evangelho de São Lucas:

"Julgais que vim trazer paz à terra? Não, digo-vos, mas separação. Pois de ora em diante haverá numa mesma casa cinco pessoas divididas, três contra duas, e duas contra três; estarão divididos: o pai contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha, e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora, e a nora contra a sogra" (Lc 12, 51-53).

Engraçado, que podemos tomar essa perda da paz no sentido específico da canção A Hora e a Vez:

Olha no espelho
E só vê o amor
Agora sabe
Que perdeu a paz

Todo amor, Grande Amor, tira a nossa paz, não é mesmo? A gente perde o apetite (no meu caso) ou passa a comer muito; dorme e acorda pensando na pessoa amada; de "cada 10 palavras que fala, 11" são o nome dela (como a banda brasileira KLB canta)... Enfim, nosso foco vira o ser que amamos. Nossa vida passa a girar em torno do sol que ele se torna. Sol no qual o transformamos.

Se cantar é rezar duas vezes, então não quero perder nenhuma oportunidade de falar com Jesus Cristo. Seja através das composições católicas, seja com as canções de amor do imenso e maravilhoso catálogo da MPB!

Para encerrar este Post, uma última música: Todo Azul do Mar, de Flávio Venturini e Ronaldo Bastos. (Espero que curta.) Saúde e Paz!!

Foi assim como ver o mar
A primeira vez que meus olhos
Se viram no Seu olhar

Imagem de Jack Merridew

Não tive a intenção de me apaixonar
Mera distração e já era momento de se gostar

Quando dei por mim nem tentei fugir
Do visgo que me prendeu
Dentro do Seu olhar

Quando eu mergulhei no azul do mar
Sabia que era amor e vinha pra ficar

Daria pra pintar todo o azul do céu
Dava pra encher o universo
Da vida que eu quis pra mim

Tudo que eu quis foi me confessar
Escravo do Teu amor, livre pra amar

Quando eu mergulhei fundo neste mar
Fui dono do mar azul
De todo o azul do mar...


P.S. Internauta d'A Católica, pra você ver, ouvir e deliciar os sentidos: confira abaixo as performances dos artistas brasileiros com as canções mencionadas neste Post.

Zazueira (com Wilson Simonal);
Velha Infância (com Marisa Monte);
A Hora e a Vez (com Zé Renato, vocalista da banda Boca Livre);
Todo Azul do Mar (com a suave e linda Leila Pinheiro - imperdível!).


Fotografia do Menino Jesus na manjedoura, por 4028mdk09 (Click The Image)


~Ana Paula~A Católica
Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

2 comentários:

  1. MENINA, QUE LEGAL A LEITURA CANTANTE DESSE SEU POST! CURTI PRÁ VALER. EU TENHO ESSA MANIA DE DIZER QDO ACABO DE OUVIR ALGUMA MÚSICA QUE MEXECOMIGO QUE ELA FOI INSPIRADA PELO ESPÍRITO SANTO. BEIJÃO!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.