30 de agosto de 2010

Feliz aniversário... Atrasado! Ops.

Fernanda Luiza teve a Felicidade de nascer
no dia de Nossa Senhora Rainha
Já viu isso? Usar um Blog para desejar Feliz Aniversário e ainda por cima... Atrasado! Pois vou me atrever a tanto. É que eu tenho uma prima muito, muito especial... E sabe o que é mais engraçado? Eu a amo gratuitamente.

Aliás, você sabe o que essa expressão realmente significa? Acompanhe as linhas a seguir.

Uma vez, meu querido Vovô João (Que Deus o tenha) e eu argumentamos que toda amizade é "interesseira". Calma. Vou explicar: nós dois chegamos à conclusão de que a grande maioria de nós só procura os outros quando (e porque) precisa deles. Ou você não tem aquele "amigo" ou parente que só lhe telefona pra anunciar algum infortúnio alheio ou... Para lhe pedir um favor? Aha. Pois então.

Nós dois, meu avô e eu, concluímos que só vamos à cata e demonstramos a nossa "afeição" àqueles que têm alguma coisa a nos dar em troca. Se o outro não tem nada a me oferecer, então... Eu não o procuro. Simples.

29 de agosto de 2010

Um Post para encher seus olhos de... Amarelo!

Caro internauta:
Este Post é para encher os seus olhos... Portanto, chega (por ora) de palavras! Comecei o dia ouvindo o inglês Elton John cantar Goodbye Yellow Brick Road. (Adoro essa música.) Yellow é "amarelo" em inglês e o termo me fez pensar, instantaneamente, em Van Gogh - Vincent Van Gogh (1853-1890). Pintor holandês que ficou famoso por retratar vastos campos de trigo e girassóis de todo jeito: inclusive, murchos.


Como eu estava "musical", lembrei-me da canção Vincent (Starry, Starry Night), traduzindo: "Vincent (Estrelada, Estrelada Noite)", do cantor e compositor norte-americano Don McLean. Você pode ouvi-la aqui e também conhecer a sua tradução.

Girassóis (1888) - Detalhe
Apesar de há anos toda a obra de Van Gogh ser uma das mais prestigiadas em todo o mundo, li que o artista holandês vendeu um único quadro em vida. Ele vivia financeiramente às custas do irmão, Théo (que o adorava), a fim de poder dedicar-se integralmente a sua Vocação: pintar o mundo - lindamente retratá-lo.

A relação dos dois irmãos é uma história à parte. Você pode adquirir Cartas a Théo (L&PM Pocket, 2004), a fim de conferir o ardor que Van Gogh nutria pela pintura e a amizade visceral com o irmão. O livro compila 200 das 652 cartas que eles trocaram - há um glossário com os nomes e termos que mencionam nelas.

Enfim, Van Gogh era apaixonado com a paleta e desenvolto com a caneta... Vale conferir.

Comecei, então, a procurar as obras do artista na Internet e minha retina começou a ser invadida por um amarelo vibrante...
... Que abraçou não só as minhas vistas, como a minha alma também!! E eu quis, aqui, dividir com você todas estas cores, ou melhor, todos estas variações de amarelo que Deus dispôs no mundo e Van Gogh, em seus quadros.

Boa Viagem, internauta!

A sabedoria na arte de ELOGIAR

Deus não poupa: nos dá o Seu melhor! Façamos o mesmo!

Caro internauta:
Saudações!!

Provavelmente, quando você ver este Post, já haverá amanhecido...
... Mais um domingo. Um novo dia. Uma nova oportunidade de desfrutar do oxigênio, da presença dos outros, de um bom livro, de um descanso estirado no sofá da sala (ou em um aconchegante sofá-cama).

Estive pensando que Deus não regateia. Deus: Seu nome é Generosidade.

Padre Léo (lá vem ele de novo!) já dizia algo semelhante: "Deus é exagerado" ou "A marca de Deus é o exagero". Zilhões de espermatozóides são necessários para que um - ou dois ou alguns a mais - transponha o óvulo para dar origem à vida humana, lembrava o padre. Zilhões, para um só ser aproveitado.

Se somos imagem e semelhança de Deus - "Deus criou o homem a sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher" (Gn 1, 27) -, por que alguns dentre nós não são exagerados como Ele e "economizam"?

Você não entendeu o que eu quis dizer? Vou me explicar melhor.

28 de agosto de 2010

Eu Me Rendo a Ti, Senhor!...

Simão (mais tarde) Pedro rende-se ao
chamado do Filho de Deus na Galileia
Engraçado. Quando a maravilhosa cantora Eliana Ribeiro lançou o CD ao vivo Barco a Vela no início deste ano (se não me engano), a grande maioria das pessoas, ao ser questionada na TV Canção Nova sobre a música de que mais gostou, apontava Força e Vitória (faixa 6) e, depois, a que dá título ao CD: Barco a Vela (faixa 2).

Eu ouvia as opiniões e me perguntava: "Será que ninguém se tocou da maravilha que é a faixa 11?? Pelo amor de 'meus filhinhos'! É a música mais linda do CD!!!".

Fiquei na minha. "Cada um é cada um": ninguém precisa pensar como todo mundo.

Não sei se você é assim também: quando eu gosto de um CD, eu o ouço à exaustão e acabo decorando até as pausas respiratórias dos artistas entre um agudo (ou grave) e outro!... E quando tem aquela música que me toca fundo, aí, piorou: eu ouço 2, 3, 4, 5 vezes seguidas!... Ui.

O poder da Palavra de Deus

São Bonifácio confiou literalmente
na força do Evangelho
Olá, caro internauta!

Não dei o Ar da Graça nesta sexta-feira de ar extra-seco aqui em BH, porque estava ocupada com algo importante: o padre da minha Paróquia designou-me para escrever o Editorial da edição de setembro do informativo e eu tive que me concentrar, ler bastante e... Escrever.

Engraçado.

A gente de esforça, vamos dizer, 100% e só 20% a 25% do nosso trabalho é aproveitado. E algumas vezes a sobra - ou seja: aquilo que não compôs o principal - não é de se jogar fora! Mesmo.

Então, o Post pós-sexta-feira extra-seca será sobre a sobra, a parte que não foi aproveitada para entrar no Editorial do informativo. E que sobra, caro internauta!!! Não é de se jogar fora mesmo.

A parte que não entrou no texto que escrevi para o jornal refere-se a nada mais nada menos do que... Tchan Tchan Tchan Tchan: São Bonifácio!

26 de agosto de 2010

Uma nota (2, 3, 4...) sobre a Alegria!

Na barra do dia o canto do galo ecoou/
A flor se abriu, a gota de orvalho brilhou/
Quando a manhã surgiu/
Nos dedos de Nosso Senhor...

Aha: caro internauta! Te peguei! Achou que ia passar incólume esta linda quinta-feira, sem o meu aceno de mão? Pois acordei apoquentada. Ia escrever sobre Y e escolhi Z ou D ou a letra que você quiser. A seu bel-prazer.

Amo as quinta-feiras por N (ops! Outra letra...) motivos. Dois deles:

25 de agosto de 2010

A inveja nossa de cada dia

São Tomás de Aquino teria dito: "Só a soberba e a inveja são pecados
puramente espirituais, portanto, do âmbito possível dos demônios"

Não sei quanto a você... Mas vira e mexe eu me pego invejando alguém ou sendo invejada por alguém. E tanto um quanto o outro são situações terríveis, não?

E bote terrível nisso...

... O Pai dos "Sábios", vulgo dicionário, dá duas definições para inveja:
1ª Desgosto pelo bem alheio;
2ª Desejo de possuir o que outro tem (acompanhado de ódio pelo possuidor).

Nossa... "Acompanhado de ódio pelo possuidor"... Forte, não? Ódio, ainda segundo o dicionário, é "aversão inveterada e absoluta; raiva; rancor; antipatia".

Se a Psicologia nos ensina que não temos culpa pelo que sentimos, a Igreja quer ir além: ela nos estimula a não nos sentirmos assim... Porém, vamos ser realistas, né? É difícil pacas evitar a inveja. E horrível tanto senti-la, quanto ser sua vítima. AFINAL: como driblar esse sentimento nefasto?

Inveja vem acompanhada de ódio, ódio também significa antipatia... Antipatia me faz lembrar Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face (1873-1897). Ela é A Professora quando se trata de usar Psicologia e Sabedoria Divina, juntas, para vencer todos esses sentimentos medonhos dentro de nós.

Bloggueira Há 1 Mês!!!

Bebê Blog já é uma criança Feliz!!
Caro Internauta,
Saudações!!!

Há um mês, o Blog A Católica nasceu. Veio despretensioso e, apesar de tão novinho e pequeno, tornou-se bastante guloso (ops! Eu quis dizer ambicioso).

Assim, ele quer mais Posts, mais Comentários, mais Leitores. Enquanto tudo isso vem chegando, vem aparecendo, nós dois - o "bebê Blog" e eu - estamos muito orgulhosos e felizes por contar com você!!!

Obrigada por nos acompanhar, por ler os Posts, por navegar pelos Links das seções Menu. Sirva-se!, Relíquias d'A Católica, Blogs Saborosos! Hum... e Êpa! Parada Obrigatória. E por clicar, em cada Post, no Link Saboreie mais... .

Fazemos questão de deixar na seção Blogs Saborosos! Hum... o Link Blog com + Alma!!!. Se você também pensa em se aventurar na Blogosfera, não deixe de dar uma passadinha por lá: a blogueira tem dicas maravilhosas, que muito nos ajudaram.

Enfim, Obrigada!!! Obrigada mesmo!!! Um obrigada especial a nossa seguidora Nº 1: Teresa Moreno. Ei: por que você não se junta a ela, hein? Obrigada àqueles que fizeram os primeiros comentários: Christian, em Georgia On My Mind; Luiz Carlos de Alvarenga Moraes, em Noite de sexta-feira; Luiz Alvarenga e Anônimo, em Alguma coisa acontece no meu coração....

Ah: o "bebê Blog" acabou de sussurrar em meu ouvido que é pra você divulgá-lo entre seus amigos e conhecidos. Cê sabe, né?... Quanto mais novinha a criança, mais GULOSA ela é!!!

Saudações Fraternas d'A Católica!!! Do fundo do coração: Deus o abençoe!

~Ana Paula~A Católica

24 de agosto de 2010

(Don't) leave me alone!

No auge da carreira, esta atriz sueca isolou-se.
Teria sido um protesto à frivolidade social?
O processo de crescimento, para mim, redundou numa quase completa solidão. Penso em quando eu era criança, em como andava metida em grupinhos de amigas ou com meus primos; depois a adolescência, quando circulava em bando, com colegas de escola e outros amigos.

Aí, veio a Faculdade, nem estávamos no mercado de trabalho ainda, mas a hostilidade e a competição eram táteis e sujavam as mãos... Meu funil afunilou-se e conto nos dedos de apenas uma das mãos as pessoas com quem não me sinto sozinha.

Idosos que se recusam a crescer

Muitos insistem em permanecer brotos,
não obstante o tempo passe, voe...
Tudo, tudo, tudo - tudo mesmo - que acontece tem um porquê. Isso não refuta o acaso. Mesmo aquilo que ocorre acidentalmente - mesmo aquilo - tem um porquê. Estou certa de que não sou a única no mundo que se analisa, sofre com os próprios defeitos e reconhece: "Não consigo mudar nisto" ou "Não consigo ser diferente".

Com isso em vista, fico me perguntando se, quando uma pessoa é repetidas vezes acometida por um infortúnio, ele não quer "ensinar-lhe" algo. Fico me perguntando se o contratempo não seria um recado da Vida, do tipo: "Você vai ter que amadurecer por bem ou por mal!".

Digo essas linhas acima, porque muita gente na chamada "meia idade" e até pessoas mais velhas, que já ostentam de 65 a 80 velinhas no bolo de aniversário, agem como se fossem a mais verde das criaturas. Se já é desagradável assistir a uma criança dando birra, imagine a um adulto. Pois, infelizmente, adultos assim existem, para desconsolo dos filhos e de quem mais tenha que conviver com eles.

Minha avó Antonieta uma vez me disse: "Não é porque tem cabelo branco que é santo". Ela tem razão.

Alguma coisa acontece no meu coração...

Endereço da Felicidade (ou um deles...)

Imagem: Internet
Acabei de desembarcar em Belo Horizonte, my home sweet home (meu lar doce lar), vinda de São Paulo. Foi a primeira vez em que estive lá. Fui apenas para rever e abraçar minha madrinha, Suzana, e tive só um dia para passear pela cidade.

Meu primo, Flávio Augusto, que mora lá há alguns anos, e minha irmã, Andréa Cristina, tiveram que escolher um único lugar que desse para eu conhecer em apenas algumas horas. E me levaram ao local certo: a Avenida Paulista.

Agora, eu entendo perfeitamente o que Caetano Veloso quis traduzir na letra de Sampa. Só que, ao contrário dele, eu não "achei feio o que não era espelho". Reconheci-me na cidade, para grande espanto do meu eu. É que sempre, sempre tive preconceito com São Paulo. Ops. Não o "santo", nem o time de futebol, mas a capital do estado de São Paulo mesmo.

23 de agosto de 2010

Um olhar sobre Courtney Love

Courtney protege a retaguarda do marido, Kurt

(Imagem: Internet)
Assisti outro dia na televisão a um especial sobre a vida da cantora norte-americana Courtney Love. Courtney é aquele tipo de artista que não sai do noticiário... Policial. Não, ela não é nenhuma criminosa. É que, infelizmente, até bem pouco tempo atrás, Courtney era viciada em drogas, envolvendo-se em situações constrangedoras que culminaram até na perda da guarda da única filha.

Quem acompanha mais de perto o cenário musical internacional sabe que Courtney é mais famosa por ser, simplesmente, a viúva do também norte-americano Kurt Cobain. Cobain chacoalhou o rock no inicinho os anos 1990, com um som que logo foi denominado como grunge. Era líder da banda Nirvana. Em 1994, muito provavelmente devido ao abuso do uso de drogas, o cantor e compositor matou-se em casa com um tiro na cabeça.

20 de agosto de 2010

Espinho na carne

O que será que atormentava Paulo?
Não há como começar a fazer o estudo bíblico e chegar às cartas de São Paulo sem se apaixonar por elas e, especialmente, pelo seu autor.

Um dos trechos mais enigmáticos, que levou estudiosos a inferir o que a Apóstolo dos Gentios (eu prefiro chamá-lo de 13º Apóstolo) quis dizer, é aquele no qual São Paulo fala do "espinho na carne":

"Demais, para que a grandeza das revelações não me levasse ao orgulho, foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás para me esbofetear e me livrar do perigo da vaidade" (II Cor 12, 7).

Há várias teorias sobre o espinho, no que ele consistiria. Gosto de pensar que ele seria o mesmo que é para mim e para você: uma questão séria e recorrente. No meu caso, a minha enxaqueca, que me ataca toda santa semana.

Sim

John Lennon com a artista que disse: "Sim".

Imagem: Internet
Não. Hoje eu ouvi "não". Aliás, trata-se da palavra que nós mais ouvimos, desde o começo da nossa vida. Nossa mãe se distrai, se descuida, quando vira, lá estamos nós com a mão prestes a puxar a toalha da mesa, enfiando um grampo na tomada, subindo no sofá e querendo saltar pela janela. "NÃO!" NÃo. Não.

A vida é uma coleção de "Nãos". O que nossas mães, avós, babás ou "tias" mais fazem é nos ofertar um monte de... Não.

Vi uma vez num filme (que infelizmente nunca mais passou na televisão) como John Lennon (o ex-Beatle) e o amor de sua vida, a artista plástica Yoko Ono, se conheceram.

John foi visitar uma das exposições dela e, ao se deparar com uma escada - dessas que a gente costuma ter em casa -, com uma lupa pendurada na lateral por um tipo de corrente, subiu os degraus e lá em cima, escrito no teto, bem miudinho, com a ajuda da lupa, ele leu: "SIM".

Li uma vez que o ex-beatle garantiu que se apaixonou pela artista japonesa naquela hora. E que se tivesse subido a escada para ler "não", teria ido embora na hora.

19 de agosto de 2010

Georgia On My Mind

Georgia: não sei qual a flor de que mais gostava...
Ofereço-lhe margaridas, as minhas preferidas!

Fotografia de Vera Kratochvil

- Alô?
- Ana Paula?
- Bença, Papai.
- Minha filha, tenho uma notícia triste pra dar...
- Fala, papai.
- A Georgina faleceu.
- Nossa... Mas o nome dela é "Georgia".
- Não, é Georgina.
- Ó: eu não sabia. Pra mim, ela era "Georgia"...
- O enterro vai ser hoje, uma hora.
- Ô, papai, infelizmente não vou poder ir. Você sabe, né? Terça-feira tenho que entregar a bendita da monografia, tô atolada até o pescoço... Dê um abraço em todo mundo por mim... Eu sinto muito...

Esse foi o telefonema que recebi no último sábado, dia 14 de agosto.

COMEMORAÇÃO!!!

Fotografia de Anna Cervova

Consegui... Consegui... i... i... i... i...

i... i.. i.

Entreguei a Monografia que fiquei devendo a um curso de especialização que fiz há 2 anos atrás.

Nem acredito.

Tirei um peso das costas, dos braços, da cabeça, dos ombros... Do coração.

Não há coisa pior (pelo menos, eu penso assim) do que a sensação, a angústia, o fardo do "dever não cumprido".

11 de agosto de 2010

Naquele instante diante da TV

Imagem: Domínio Público

Nota: Revirando minhas crônicas escritas a time ago, encontrei esta. Fez-me lembrar do amado e saudoso Padre Léo que, em uma de suas maravilhosas e memoráveis palestras, falou da influência da Televisão no nosso comportamento.

Ele contou que conheceu uma mulher (se não me falha a memória) em Portugal, que lhe disse que assistiu a uma palestra sua - ou melhor: a uma reprise de uma palestra sua - de madrugada, quando estava em casa sozinha e triste, e que imediatamente sentiu-se bem. E decidiu largar a bebida.

Padre Léo, então, afirmou: "Se uma palestra reprisada na TV pode fazer alguém largar o alcoolismo, não se enganem: o lixo que você assiste todo dia na televisão também tem uma influência negativa sobre você, sobre a sua vida! Pare de alimentar seus olhos e seus ouvidos com porcaria!...".

A crônica a seguir, que escrevi em junho de 2001, tem tudo a ver com o que o Padre Léo disse...


9 de agosto de 2010

Amor mal resolvido: meu texto e eu

Fotografia de Ildar Sagdejev (Specious)
Nota: Esta crônica foi escrita em dezembro de 2003, antes do meu retorno à Igreja Católica. Considero-a importante, porque fala da Vocação de escrever.


Este é o texto que ninguém vai ler e pra ele vai toda a minha afeição. O texto que não deu certo, porque não vai se comunicar e somente eu saberei (saberei?) o que ele tenta dizer. Como meu texto é um segredo – entre mim e ele –, posso escrever o que bem entender: não será chato, porque só falarei daquilo que me interessar. Será choroso, será alegre, será cheio de esperança. Eu bem queria que ele fosse uma psicografia – ao menos assim me seria uma novidade: uma mensagem inspirada do Além. Mas ele vem do fundo de mim mesma mesmo: talvez eu até já o conheça bem.

Rápida e Imortal

Nota: Este texto foi escrito em 1997, quando eu era aluna de Comunicação Social-Jornalismo na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich-UFMG).

Imagem da fórmula do DDT, por Benjah-bmm27
Acendi a luz e ela estava lá. Marrom, achatada, enorme. As antenas compridas, que mexiam sensivelmente – como a captar sinais de satélites, vindos de lugar nenhum. A barata e eu. Cara a cara. Nunca uma criatura tão pequena e insignificante causou tanta ameaça a um ser potente, soberano na sua racionalidade. Um ser humano.

Eu podia tê-la matado. Com uma chinelada de havaianas. Mas fiquei estática no meu horror. E também pela sua ousadia de invadir a minha casa e permanecer tranqüila, parada no meio da cozinha. Fiquei a fitá-la, desejando que o Baygon estivesse à mão. Fui, então, à área de serviço pegá-lo. A passos pequenos e de marcha ré: nunca se sabe quando o inimigo poderá surpreendê-lo. Peguei. Voltei. Ela ainda estava lá. Atirei. Ela fugiu. Óbvio.

8 de agosto de 2010

Todos nós merecemos uma Segunda Chance

Ao contrário do apóstolo Paulo, Simonal não teve a simpatia dos colegas

À esquerda, Simona vestido de Pelé, o rei do Futebol.
À direita, Pelé fantasiado de "rei dos palcos", Simona.
Dois ícones do Brasil dos anos 1960 e 1970

Imagem: Reprodução-Internet

Nota: Esta crônica foi escrita em fevereiro de 2010. A intenção era publicá-la no site da Canção Nova.


Acabei de assistir, pela 2ª vez, ao colorido filme Ninguém sabe o duro que dei, sobre a vida e a carreira do talentosíssimo cantor carioca Wilson Simonal. “Simona”, como era chamado, foi vítima de uma injustiça. Ele cometeu um erro e não é que tenha pagado o resto da vida por esse deslize. Foi pior, muito pior. O erro que cometeu foi deturpado e ele acabou pagando, à custa de sofrimento e solidão, por algo que não foi e não fez.

E o bonito no documentário é que seus filhos, Simoninha e Max de Castro, também cantores, garantiram que não têm mágoa e que esperam que o que aconteceu com o pai sirva de lição para as próximas gerações.

Você já cumprimentou um “santo” hoje?

Muitas vezes desprezamos alguém só porque ocupa um cargo subalterno

Fotografia de Lemur12

Nota: Esta crônica foi escrita em novembro de 2009. A intenção era publicá-la no site da Canção Nova.


- Desculpa te incomodar... Qual é o seu nome?
- Ana Paula. E o seu?
- Edmílson. É que outro dia eu tava falando com um colega que você trata a gente bem... É que as pessoas que vêm aqui nem olham pro nosso rosto. Você conversa, cumprimenta a gente...
- Olha, Edmílson, obrigada, mas eu não faço mais do que a minha obrigação... Até daqui a pouco!...

Esse diálogo ocorreu na portaria da biblioteca de uma universidade particular em Belo Horizonte. Venho visitando o local há 4 meses para fazer uma pesquisa. Os elogios do porteiro talvez deixassem qualquer uma “cheia de si”, mas não a mim. Fiquei triste. Triste mesmo, por saber que sou a única frequentadora (ou ao menos uma das poucas) que olha nos olhos dos funcionários e lhes deseja “boa tarde”.

Não foi a 1ª vez em que alguém de ocupação “humilde”, “subalterna”, desabafava comigo a maneira indiferente e até ríspida com que é tratado. Naquela mesma semana, uma moça do setor de Orientação ao Leitor me confidenciou que foi destratada por um professor só porque chamou-o de “você” em vez de “senhor”. Abalada, ela falhou no serviço no dia seguinte.

Por que isso acontece? Por que vigias, jardineiros, faxineiras, recepcionistas são tratados com desprezo?

Com que roupa eu não vou?

O apóstolo Paulo ensina como uma mulher não deve se vestir

Grace Kelly (1929-1982): atriz norte-americana, princesa de Mônaco
e modelo de elegância e discrição para mulheres de todos os tempos e idades

(Arquivo fotográfico - Los Angeles Times - 1956)

Nota: Esta crônica foi escrita em outubro de 2009. A intenção era publicá-la no site da Canção Nova.


Estou no sexto caderninho desde que comecei a fazer o estudo bíblico pelo método do Monsenhor Jonas Abib, há quase 2 anos. Hoje, lendo o segundo capítulo da Primeira Carta a Timóteo, chamou-me a atenção o modo com que Paulo, autor do texto, explica às mulheres como elas não devem se vestir. Nada de “primorosos penteados, ouro, pérolas, vestidos de luxo”, exorta.

Supremacia Branca (ou sobre negros forasteiros)

Imagem: Internet

Nota: Esta crônica foi escrita em 2002. No final, acrescentei um parágrafo que escrevi em 2005.


Muitas coisas me incomodam na vida. O fato de os novos síndicos do meu prédio não trocarem as lâmpadas queimadas nem mandarem aparar a grama do jardim. Barulho de motor de carro velho. Gente que entra na fila do caixa “somente até dez volumes” com o carrinho abarrotado. Fumaça. De qualquer tipo: cigarro, caminhão, fogueira. Tirando a de incenso: adoro. Gente folgada, que pede a você um vale-transporte (diz que vai repor, e não repõe), depois, o batom, depois, um real, depois, o celular, depois, dez reais, num ciclo vicioso e infindável, como se você fosse um saco sem fundo de dádivas (ou um otário). Mulher fora de forma que acha que, só porque está na moda, a calça saint-tropez lhe cai muitíssimo bem.

6 de agosto de 2010

Rezando pelas Almas do Purgatório

Imagem: Internet

Conforme aprendi com a doutrina católica, há três destinos para os que partiram desta vida: o Céu, o Inferno e o Purgatório.

Para o Inferno, vão aqueles que morreram em desarmonia com o Criador, que O renegaram - assim, mesmo um assassino, se se arrepende do que fez e clama a misericórdia de Deus, mesmo que no último instante, escapa do Inferno. Basta nos lembrarmos do memorável caso que envolveu Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face (1873-1897) e Henrique Pranzini, acusado de matar uma mulher e sua filha de 11 anos de idade em 1887.

4 de agosto de 2010

Testemunhos de Fé

Fotografia de Petr Kratochvil
Chorar enquanto se reza o Terço Mariano; emocionar-se depois de receber a hóstia consagrada; alegrar-se ao ver uma prece atendida; receber um milagre; ter uma experiência mística; encantar-se com a grandeza da Basílica de Aparecida, em São Paulo (BRASIL); visitar a Terra Santa...

... Se você já vivenciou uma dessas situações, ou outra diferente, não hesite: manifeste a sua felicidade com a sua crença!

Vá até Postar um comentário (abaixo) e Solte o Verbo. Seja um dos primeiros a dizer aqui por que é tão bom ter Fé e contar com a Graça do Alto!

~Ana Paula~A Católica

1 de agosto de 2010

A canção de "Irmão Sol, Irmã Lua"

Imagem: Internet


Ao lado, você vê um dos pôsteres promocionais do excelente filme Irmão Sol, Irmã Lua, do ótimo diretor italiano Franco Zeffirelli.

A foto retrata a histórica cena em que o Pobrezinho de Assis deixava o centro da cidade, nu, depois de depositar diante dos pés do pai, o bem-sucedido comerciante de tecidos Pedro Bernardone, todos os seus bens - a herança a que teria direito e até a própria roupa.

É um filme maravilhoso, que retrata um Francisco meigo, que enfrentou todas as autoridades e as intempéries com duas únicas armas: a fé e a doçura.