13 de novembro de 2018

Era uma vez...

Imagem: 'The Ladies' home journal - 1948 -
N. C. Wyeth (Newell Convers)

Num dia, alguém cruza a via
e toma um outro pela mão.
Fica assim uma alma cativa:
à mercê da nova situação.

Pra Shangri-lá, ela suporia
que iriam juntos desde então.
Mas fará frio onde algo ardia
e a máscara do guia irá ao chão.


12 de novembro de 2018

O Escafandrista

Tela: View on Overschie in Moonlight (1872), Johan Barthold Jongkind

De longe, sem olhar apurado
pras saliências de quem é plana;
o luar lança mão do contato:
quem vai fundo não se engana.


11 de novembro de 2018

Temperança

Imagem: Plate from the book 
Sylva anachoretica Aegypti et Palaestinae
(S. Maria Aegyptiaca) - 1619 -
Abraham Bloemaert & Boetius à Bolswert

Para H.

Quem, com migalhas, lida
nunca se nutre a contento -
porém traz a alma fornida
pra engolir contratempos.

Assim, é melhor companhia
que o generoso, o avarento -
porque dá pouco, na partida,
não causa falta nem lamento.


9 de novembro de 2018

Compreensivo

Tela: Riviergezicht bij maanlicht (River View by Moonlight)
- 1640-50 - Aert van der Neer

Um ímpeto de pertença
e um diverso de fuga
convivem em todo ser.

A um rio, não é ofensa
se, à francesa, a lua
lhe escapa no alvorecer.


8 de novembro de 2018

Podada

Foto de Azmat akbar

Esconde a placidez da planta
a liberdade que ela ansia,
e que a privam, mãos tantas.

Se o jardineiro à luz do dia
com a truculência da lâmina
não a deixa sair da linha;

com o pulso de governanta
ordena às folhas, a ventania
saudações à lua soberana.


7 de novembro de 2018

Altos

Foto de victorgrigas

Por bem-intencionado que seja,
o limite tem um quê de absurdo.
Por cima, os ramos da parreira
acenam - caçoando de um muro.


5 de novembro de 2018

Arrojado

Imagem: Yanagawa in Kai Province (Kōshū Yanagawa), from
the series Souvenirs of Travel II (Tabi miyage dai nishū)
- 1921 - Hasui Kawase

Sobre as pedras, passa o rio.
Na superfície, como é límpido,
parece célere, mas tranquilo -
como quem não vê os riscos.

Assim na borda ou no cimo,
ante humildes e os altivos,
sem deter-se nos desvios
dá-se ao mar desconhecido.


4 de novembro de 2018

O bem

Tela: The Vine - 19th century - Philip Hermogenes Calderon

Se não a possuem ou vive cercada -
ela parece indiferente a tudo.

Até o dia em que, duas mãos, farta
pois mexeram com ela fundo.


31 de outubro de 2018

Maturidades

Tela: Eva (1507), Albrecht Dürer

Aceita que o que germina
às vezes, será em vão.

Muita árvore se resigna
com suas dádivas no chão -

assim apura a pontaria,
pra acertar duas mãos.


25 de outubro de 2018

O flanco

Tela: Die Versuchung des Ritters (The Temptation of the Knight) - 1910 - Wilhelm Gallhof

O que foi feito involuntário
num dia perde a autonomia:
é quando, o seu compasso,
um vem e rege à sua revelia.

Tem-se assim o peito de aço
dando a ver o que escondia:
duas câmaras e dois átrios
de suscetível matéria-prima.


Testemunhos

Tela: Evening on the Prairie (1870), Albert Bierstadt

Em quem não faz caso,
decerto falta juízo,
pois ver é conveniente.

Nas ameaças do ocaso
não há um indício
de que não foi eloquente.


23 de outubro de 2018

Namoro

Foto de Anoop Mukundan

Daquilo em que se imbrica
(saltar pra dentro dos rios
e atiçar marés lá de cima),
pro luar, a hora mais singela
é também a sua preferida:
depois de cruzar uma fresta,
achar até o vaso uma trilha
e tocar a folha no escurinho.