20 de junho de 2018

Dúvida

Tela: Crepuscolo - 1885-95 - Francesco Danieli

Quando a tarde desce o pano,
põe suspenso seu martírio:
virar noite ou seguir dia?

No rasto dos humanos
- hora turva, e é tão nítido! -
o céu se mostra outro que vacila.


19 de junho de 2018

Desassossegos

Tela: Закат у моря (Sunset at Sea) - 1864 - Ivan Aivazovsky

Tanto o que não se acomoda
e desponta com ares de partida.
O sol é um: chega na aurora
e não disfarça o ocaso em vista.


18 de junho de 2018

Cena

Foto de Brian Stansberry

Mesmo a luz esperneia na partida:
agarra-se ao céu com mãos aflitas;
arrasta-se e o risca de ametista...
Até, exausta, ceder pro breu à vista.


17 de junho de 2018

Rupturas

Tela: Red Sunset on the Dnieper - 1905 - Arkhip Ivanovich Kuindzhi

É o muito que se junta
ou um ínfimo detalhe
que faz ir, de repente,
uma pareja pelos ares?

Peleja nessa dúvida
todo dia, a paisagem
quando, no poente,
some a contraparte.


16 de junho de 2018

Pas de deux

Tela: Before the Storm (Clouds) - 1866 - Karel Purkyně

Um vendaval é alvissareiro
se não pra todos, para a grama:
ele sopra que o céu inteiro
em seus braços (já, já) se lança.


15 de junho de 2018

A grama

Foto de Nathan O'Nions

Se faz sol ou chove à beça,
se ganha pisada ou flor amarela;
nas alturas, viceja a inveja
dessa constância que paira nela.


14 de junho de 2018

Embaraço

Tela: Seenlandschaft bei Mondschein, Giuseppe Canella the Younger (1837-1913)

Quem vê o rio denodado
arrojar-se no mar bravo
estranha, após o ocaso,
ele tremer, ressabiado,
com a lua em seus braços.


13 de junho de 2018

Oblação

Tela: Quiet moonlight (beyond Catalina Island) - 1907 - Granville Redmond

Na superfície já se nota
que a partículas não toca
deixar uma imensidão plena.

Mas ela insiste e retorna,
pois tenta ser qual a hóstia:
nutrir fundo, mesmo pequena.


12 de junho de 2018

A prova

Tela: Marie Gallén auf der Kuhmoniemi-Brücke (1890), Akseli Gallén-Kallela

Somente um juízo raso
sentencia que é quente:

fazer do nascer ao ocaso
tudo, ao ontem, indiferente

é um indício arrazoado
de que frieza, traz latente.


10 de junho de 2018

Recato

Tela: Morgenlandschaft (Aurora) - circa 1606 - Adam Elsheimer

Para P. L.

Cobriram-na com tanta joia,
que simplesmente assentiu.
À vaidade, se viu exposta -
assim, por horas, se retraiu.
Pra não soar uma incógnita,
ao silêncio, não sucumbiu:
abriu a boca e saiu "Aurora!",
quando todo enfeite sumiu.


O Sentimento

Imagem de Gerhard Munthe (1918) -
Fonte: Nasjonalbiblioteket from Norway

Para P. L.

Um espetáculo acontece
a cortinas cerradas:
começa muito lento
até a hora da catarse,
quando chega o momento
de, então, vir à baila.

É como o que se repete
sempre nas alvoradas
quando a luz vira portento
cheia de afã e classe:
só depois de ir comendo
a noite, pelas beiradas.


8 de junho de 2018

Na madrugada

Tela: Kuutamo (1890), Elin Danielson-Gambogi

O amor é desses bens caros
que muita gente tem herdado
sem por eles pagar vintém.

Com alto valor de mercado,
só o ostentam, desavisados -
atraindo a cobiça de alguém.

Não são como o céu: sensato,
que exibe seu broche dourado
quando se vê quase ninguém.